Quinta-feira, 09 de dezembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Teatro & Dança Theatro Municipal de São Paulo completa 110 anos

Compartilhe esta notícia:

A construção foi uma das primeiras do Brasil a ser iluminada com energia elétrica. (Foto: Reprodução)

Quando o Theatro Municipal de São Paulo foi inaugurado no dia 12 de setembro de 1911, era evidente que o arquiteto Ramos de Azevedo havia se inspirado na Ópera de Paris. A construção, que foi uma das primeiras do Brasil a ser iluminada com energia elétrica, atendia perfeitamente os desejos da elite paulista da época, que ansiava por um espaço e uma programação cultural à altura das capitais europeias.

Passados 110 anos, o Theatro Municipal continua recebendo as melhores produções de todo o Brasil, mas agora se esforça para trazer manifestações artísticas mais inclusivas e diversas. Não à toa, uma prostituta e duas travestis farão performances individuais durante a ópera-tango María de Buenos Aires, obra de Astor Piazzolla que acompanha a vida de uma prostituta no submundo noturno da capital da Argentina.

A apresentação, que faz parte das comemorações de aniversário, também trará um conceito inédito no Theatro Municipal: o chamado “cine-ópera live”. Na prática, isso significa que cenas urbanas gravadas previamente em Buenos Aires e São Paulo serão sobrepostas a filmagens do que está acontecendo ao vivo no palco. Ficou curioso? Infelizmente, os ingressos já estão esgotados em todo o período que a ópera ficará em cartaz, até 19 de setembro.

María de Buenos Aires quebra um jejum de dois anos sem óperas em São Paulo. O jeito é se contentar com as lives (mais uma estratégia de inclusão) que o Theatro Municipal promoverá nesta segunda (13) e terça (14), às 19h: a primeira sobre as origens do tango e o universo da prostituição e a segunda sobre os bastidores da produção.

Programação e visita guiada

Em outubro, haverá apresentação dos 85 anos do Coral Paulistano (R$ 10 a R$ 30), execução de Ligeti e Dvorak pela Orquestra Sinfônica Municipal (R$ 10 a R$ 60), programação especial para a Semana da Criança (R$ 40), música barroca pelo Quarteto da Cidade (R$ 10 a R$ 20)… Além disso, o Balé da Cidade volta a se apresentar na Praça das Artes com o espetáculo Isso dá um baile! (R$ 40), que ficará em cartaz de 22 de outubro a 6 de novembro.

Outra opção é conhecer o Theatro Municipal durante um passeio guiado. As visitas educativas, que percorrem o salão de entrada, o salão nobre, as salas de espera, os camarotes e a sala de espetáculos em si já foram retomadas e são bastante válidas: além de gratuitas, elas contam com o acompanhamento de monitores que vão destacando detalhes da arquitetura e contando curiosidades sobre os costumes da elite que frequentava o espaço antigamente. Elas acontecem de quarta-feira a sábado às 11h, 11h30, 13h, 13h30, 14h30 e 15h – só não se esqueça de fazer a reserva no dia anterior à visita através do site.

Porém, os visitantes poderão conhecer o interior do Theatro Municipal de uma forma diferente durante a comemoração do seu 110º aniversário. Mistura de espetáculo, exposição e passeio, a instalação ‘Fantasmagoria Theatro Municipal de São Paulo’ guia os participantes por dentro do monumento durante uma hora – com a diferença que pelo caminho há apresentações performáticas de grupos artísticos, projeções nas paredes e figurinos, adereços e cenários que fazem parte do acervo histórico do teatro. A experiência acontecerá deste domingo (12) a 31 de outubro e custa R$ 40.

De dentro para fora

O Theatro Municipal tem buscado estratégias de difundir a cultura erudita para além do edifício-monumento projetado por Ramos de Azevedo. Por isso, também faz parte da sua programação especial de aniversário a reforma das carroças de três catadores de materiais recicláveis, que ganharão equipamentos de som para espalhar gravações de óperas clássicas, como Fígaro e O Barbeiro de Sevilha, pelas ruas de São Paulo. A iniciativa, batizada de ‘Carroças Líricas’, é fruto de uma parceria com o movimento Pimp my Carroça e o coletivo Bijari.

Através do projeto ‘Cine-Ópera’, gravações de vídeo dessas mesmas produções tradicionais do Theatro Municipal serão exibidas em bairros periféricos de São Paulo, como Guaianases e Cidade Tiradentes, a partir deste domingo. As próximas paradas serão divulgadas ao longo dos próximos meses.

A ideia, porém, é que a comemoração dos 110 anos se espalhe por todo o Brasil. De setembro a dezembro, o teatro vai compartilhar em seu canal no Youtube um episódio por mês da websérie “Memória Viva da Capital”. Dividido em quatro partes, o documentário discutirá desde a arquitetura do Theatro Municipal até as suas propostas para o futuro, passando pelo o seu impacto cultural ao longo dos anos e pelos seis corpos artísticos que integram a instituição: o Balé da Cidade de São Paulo, o Coral Paulistano, o Coro Lírico, a Orquestra Experimental de Repertório, a Orquestra Sinfônica Municipal e o Quarteto da Cidade de São Paulo.

 

tags: Você Viu?

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Teatro & Dança

Gloria Pires fala sobre vaidade e decisão de assumir os fios brancos
Cidade sustentável capaz de acolher 5 milhões de pessoas está para ser construída em deserto americano
Deixe seu comentário
Pode te interessar