Sábado, 06 de Março de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Mostly Cloudy

Música Thiaguinho desabafa em live: “Nunca tive amigos negros na infância; eu não tinha referência”

Compartilhe esta notícia:

Entrevista foi uma das poucas vezes que Thiaguinho falou abertamente sobre como lidou com o racismo na infância e adolescência.

Foto: Reprodução
Entrevista foi uma das poucas vezes que Thiaguinho falou abertamente sobre como lidou com o racismo na infância e adolescência. (Foto: Reprodução)

Thiaguinho, um dos maiores nomes do pagode no País, participou recentemente de uma live no Instagram da Trace Brasil, multiplataforma de valorização da cultura afrourbana, onde falou sobre questões raciais de forma honesta e descontraída, lembrando do impacto do racismo em sua vida.

“Cresci numa cidade onde tem pouquíssimos negros. Nunca tive amigos negros na infância”. O músico nasceu em Presidente Prudente e foi criado em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, onde estudou como bolsista em uma instituição privada. “Ao mesmo tempo que estudar nessa escola era ótimo pra mim, eu não tinha referência”, revelou o pagodeiro, durante o bate-papo conduzido pelo apresentador e head de marketing da Trace Brasil, Ad Junior.

Thiaguinho também pontuou que apesar dos avanços do tema no País, ainda tem muito a ser feito e precisamos continuar falando sobre para promover um letramento antirracista. “Sempre escutei frases que com o tempo, fui perceber que são heranças horríveis do nosso país. Por exemplo, minha mãe é uma preta de pele clara, e os amiguinhos diziam ‘mas sua mãe nem é preta’, como se fosse melhor para mim”. Muitas vezes, ele não tocava no assunto porque não queria ser excluído, “para não lembrar [as pessoas] que era diferente”.

Na conversa, o músico relembrou a importância do Exaltasamba para sua identificação com o antirracismo: “Há um tempo, parei para pensar e já tinha esse discurso infiltrado nas minhas músicas, mesmo sem falar diretamente sobre, como em ‘Duas Vidas Um Só Ideal’, gravada pelo Exalta em 2008”. Além disso, ele comenta sobre sua parceria com o ator Rafael Zulu, com quem criou uma série no Instagram intitulada “E Aí, Até Quando?”, onde posta textos sobre racismo e se posiciona com relação a vários casos que acontecem Brasil afora.

A entrevista rendeu ainda, revelações sobre a carreira e os novos projetos, além de uma palinha de “Deixa Tudo Como Tá” e da recém lançada “Era Uma Vez”.

Na sexta-feira (15) Thiaguinho participou como convidado de uma live da programação cultural do Teatro Bradesco, onde o maestro João Carlos Martins regeu os músicos da Bachiana Filarmônica SESI-SP. Também participaram convidados os cantores Paula Fernandes e Tiago Abravanel.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Música

Escritor Alcy Cheuiche abre inscrições para oficinas literárias online
Documentário apresenta história de povos quilombolas
Deixe seu comentário
Pode te interessar