Quinta-feira, 22 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Cloudy

Tecnologia Uma apresentadora brasileira de “games” foi demitida pela Microsoft após sofrer ataques na internet

Compartilhe esta notícia:

Segundo a empresa, medida teve por objetivo preservar a paulista Isadora Basile, 18 anos. (Foto: Reprodução/Instagram)

Responsável pelo canal de jogos XboxBR no site de vídeos www.youtube.com, a “gamer” e apresentadora paulista Isadora Basile, 18 anos, foi demitida pela gigante norte-americana da informática Microsoft. Ela afirmou, por meio de um comunicado em sua conta no Twitter, ter sido desligada do cargo pela empresa após ataques sofridos na internet. A medida teria por objetivo não expô-la a ameaças.

“No início de setembro, quando anunciei meu novo trabalho, sofri ataques de todos os tipos, desde pessoas falando que eu não jogava jogo ‘x’ ou ‘y’ e que por isso não era ‘digna’ do meu cargo, até ameaças de estupro, morte e julgamentos por expor situações mais tensas”, relatou a “gamer” brasileira, sem mencionar diretamente as fotos sensuais que costuma compartilhar nas redes sociais.

“Devido a todos esses ataques, a Microsoft encontrou como melhor opção me desligar do cargo de apresentadora para que eu não esteja mais exposta a situações como essas que se passaram”, acrescentou a apresentadora no texto. “Mas respeito a decisão da marca.”

A mensagem, que motivou mais de 15 mil postagens até a noite deste sábado (17), gerou uma série de críticas à Microsoft por parte de internautas e seguidores da jovem.

“É uma pena a solução que a empresa tomou, gostaria que tivessem te apoiado diretamente nas horas mais difíceis”, disse a apresentadora Kika Martini. “De qualquer forma, uma empresa que demite uma pessoa que tá sendo alvo de comportamento tóxico não é uma boa empresa”, acrescentou o ator Raony Phillips.

“Mudança de estratégia”

Procurada pela imprensa especializada, a Microsoft argumentou que a decisão foi resultado de uma “mudança de estratégia em relação a conteúdo original”, em um plano que supostamente inclui a redução do número de canais e a concentração as informações oficiais no portal de notícias “Xbox Wire”.

“Recentemente, fizemos algumas mudanças em nossa estratégia de conteúdo original de Xbox no Brasil, resultando em menos canais e em conteúdo de maior impacto. Agradecemos a Isadora Basile e a talentosa equipe da agência por sua criatividade e contribuição”, ressalta o comunicado.

“Com isso, o portal Xbox Wire passa a ser nossa única fonte de notícias” reiterou. “O canal XboxBR continuará experimentando novas maneiras de entreter os gamers brasileiro.”

A respeito do contrato com a agência responsável pela criação e produção de conteúdo audiovisual de Xbox no Brasil, a GMD, a Microsoft se resumiu a dizer que não vai se pronunciar sobre o assunto.

Antecendentes

Essa não foi a primeira vez em que a divisão brasileira de Xbox é acusada de alimentar a comunidade tóxica. Em junho deste ano, um caso similar envolveu o grupo de influenciadores Xbox Mil Grau, que publicou mensagens classificadas como racistas nas redes sociais. Usuários denunciaram as mensagens no Twitter, marcando os responsáveis pela divisão de jogos da Microsoft no Brasil e no mundo.

Na ocasião, a marca Xbox se manifestou informando que não tinha qualquer ligação com o grupo Mil Grau. “O conteúdo da conta Mil Grau não reflete nossos valores fundamentais de respeito, diversidade e inclusão. Nós já exigimos a remoção imediata da nossa marca dos seus canais, por meio das empresas de redes sociais”, disse a empresa na época. O canal acabou suspenso de plataformas como Twitch e YouTube.

Na mesma época, até mesmo jornalistas internacionais especializados em games se manifestaram a respeito, como Jason Schreier, da Bloomberg, que também voltou a comentar sobre o caso de Isadora. Schreier lembrou que o problema envolvendo a ex-apresentadora ocorreu meses após o caso do Xbox Mil Grau.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Tecnologia

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 29 milhões na quarta
Protegido pela mãe, um bebê é o único sobrevivente da queda de avião na Colômbia
Deixe seu comentário
Pode te interessar