Últimas Notícias > Colunistas > Militares & Witzel

Em “Vira-lata de Raça”, Ney Matogrosso apresenta a trajetória de mais de quatro décadas de carreira do artista mais enigmático da música brasileira

A obra faz uma viagem única. (Foto: Bob Wolferson)

Em “Vira-lata de Raça”, Ney Matogrosso conta sua história como transgressor à frente do seu tempo, com o olhar de quem faz uma reflexão sobre o passado ancorado no presente, sem tirar seus olhos de farol firmes no futuro.

A obra faz uma viagem única à vida e trajetória de mais de quatro décadas de carreira do artista mais enigmático da música brasileira. Ney vai desde lembranças de quando despontou no cenário nacional, em meio a toda efervescência político-sociocultural dos anos 1970, até a liberdade para lidar com sua sexualidade e seus amores.

O leitor ainda se delicia com 70 fotos históricas de diferentes épocas. (Foto: Ary Brandi)

O poeta e escritor Ramon Nunes Mello fez a pesquisa e organização do volume, destacando como, dos anos 1970 até hoje, as palavras de Ney Matogrosso combatem a hipocrisia e o preconceito. Em “Vira-lata de raça”, nome tirado da música de Rita Lee e Beto Lee, e gravada por Ney, o leitor ainda se delicia com 70 fotos históricas de diferentes épocas, P&B e coloridas, além de um anexo com toda a discografia completa do artista.

“É um camaleão? É um feiticeiro? É uma sereia tropical? É um Bowie da floresta? É uma vedete escandalosa? Sim, tudo isso muito mais: é the one and only, Ney Matogrosso… o artista brasileiro mais chique, misterioso e sexy”. Este é o texto assinado por Rita Lee para o Vira-lata de Raça, o livro de memórias de Ney Matogrosso, onde ele conduz o leitor por sua história, desde a infância, marcada pela relação conturbada com a autoridade paterna, passando pela consciência de sua sexualidade, em pleno exercício da vida militar, até chegar a sua descoberta enquanto artista de múltiplas facetas.

Em Vira-lata de Raça, Ney fala de formação intelectual e artística atravessada pelo teatro, pela música e pelas artes visuais. A participação em produções onde ele cantava e dançava foi fundamental para prepará-lo para o Secos & Molhados e, posteriormente, para sua carreira solo. E é no palco que Ney diz sentir-se livre: “o palco é o lugar onde defendo a liberdade, um espaço que conquistei com muito trabalho e suor para exercitar plenamente minha liberdade”.

(Foto: Ary Brandi)

Vira-lata de Raça é muito mais que um descritivo de fatos cronológicos daquele que é reconhecidamente um dos maiores ícones da música brasileira. É uma abordagem do homem e do artista, muito além do clichê da liberdade sexual. É a voz de um Ney, ainda mais despido, para lidar com suas paixões e amores, entre eles seu romance com Cazuza. É Ney alertando sobre a caretice do mundo atual, um homem que mostra sua leveza para lidar com o passar do tempo e com gana para se reinventar, sempre.

FICHA TÉCNICA:
Título: Vira-lata de Raça

Autor: Ney Matogrosso

Pesquisa e Organização: Ramon Nunes Mello

Formato: 16 x 23
Nº de Páginas: 288

ISBN: 978-85-8419-083-6

Deixe seu comentário: