Segunda-feira, 09 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Acontece Encontro do Bem celebra o Instituto da Criança com Diabetes

Dr. Balduíno Tschiedel, presidente do Instituto da Criança com Diabetes, ao lado de João Firme, presidente do Instituto VER e secretário-geral da ALAP. (Fotos: divulgação ALAP)

No dia 5 de maio, ocorreu ao meio-dia mais uma edição do “Encontro do Bem”, o Show da Solidariedade por um Rio Grande melhor, no Centro de Eventos Laçador, em Porto Alegre. O evento foi em benefício ao Instituto da Criança com Diabetes (ICD), recebendo seu diretor-presidente, o médico oncologista Balduíno Tschiedel, que palestrou por 25 minutos, e o publicitário, radialista e cantor nativista Dorotéo Fagundes, que apresentou o Encontro e fez uma performance musical no final da atividade, resultando na formação de um Exército do Bem comandado pelo Rotary Internacional, que ajudará o Instituto da Criança com Diabetes a ampliar os atendimentos gratuitos com esperança e solidariedade da sociedade.

Não esperem a cura da diabetes tão cedo, alerta o doutor Balduíno

Formado em Medicina pela UFRGS em 1976, dr. Balduíno trabalha com diabetes há 42 anos. No Hospital Conceição, começou a perceber a dificuldade em atender crianças e adolescentes com diabetes, já que a maioria que possui a doença é a referente ao tipo 2, associada ao envelhecimento, enquanto o tipo 1 faz com que os jovens rapidamente percam a capacidade de produzir insulina, descoberta em 1921 e que chegou a ser saudada pela imprensa da época como a cura definitiva, algo que o médico rechaça nos dias atuais. “Quando se pergunta se existe uma cura para o tipo 2, ocorrerá quando descobrirem o elixir da juventude, da eternidade, então teríamos que viver mil anos. Não esperem a cura do diabetes tão cedo”, lamentou.

O Instituto da Criança com Diabetes começou a ser planejado em 1997, com tudo estruturado no ano seguinte através de uma sociedade civil sem fins lucrativos, em acordo com o Ministério da Saúde, que cedeu o terreno atrás do Hospital Conceição, na rua Álvares Cabral, para a construção do futuro centro de atendimento. “Ali era o lixão do hospital. Comecei a passear por ali, vi aquele terreno vazio cheio de lixo, com carro estacionado de forma irregular. Descobri que ele pertencia ao Ministério da Saúde. Fui à luta, falei com políticos e consegui o terreno com a Yeda Crusius e o então Ministro da Saúde, José Serra. Foi muito rápido”, se recorda Balduíno, que também recebeu recursos do Ministério do Planejamento e apresentou o novo instituto para a sociedade gaúcha em novembro de 1998, no Theatro São Pedro. “Conseguimos a primeira doação da AES Sul, que estava na época entrando no Estado, de 13 mil reais. Não recebemos um centavo sem uma empresa de auditoria do lado”, esclareceu o oncologista.

Governo Lula oferece apenas oito funcionários, e o ICD quase deixa de existir

O prédio que abrigaria o Instituto da Criança com Diabetes foi concluído em agosto de 2003, mas a mudança do governo federal ocorrida naquele ano quase inviabilizou o projeto, com o oferecimento de apenas oito funcionários à instituição, diferente do prometido pelo governo FHC. “Pensavam que eu era ligado ao PSDB, que estaria usando o ICD como trampolim para me lançar, mas eu não tinha ligação com partido algum”, justificou, considerando este seu período mais estressante, em que ia a Brasília pressionar a equipe do mandatário petista, enquanto a imprensa lhe questionava.

Apenas quatro dias antes da inauguração do prédio, cerca de 35 profissionais foram cedidos pelo governo ao ICD, que abriu suas portas em 19 de janeiro de 2004. A instituição ainda receberia mais funcionários no segundo semestre e desde então consegue operar de segunda a sexta, das 8h às 17h, atendendo pessoas de 0 a 20 anos. Uma das maiores preocupações de Balduíno Tschiedel é educar o paciente para evitar sua internação. “Baixamos em 90% as internações hospitalares, fruto da educação e do atendimento multidisciplinar”, esclarece o diretor-presidente do ICD, que apresenta aos jovens vídeo-aulas roteirizadas premiadas internacionalmente. “A educação é a chave para conseguir tratar de doença crônica, senão você está sempre internado, não aprende a manejar sua doença. Tudo que nós queríamos era evitar a internação, que causa infecção hospitalar, estresse na família. Causa muito mais risco do que benefício. Internação é por falta de orientação”, complementa o médico, eleito no fim de 2017 presidente da região América do Sul e Central da Federação Internacional de Diabetes, que possui sete regiões mundiais. A posse ocorreu em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

Amputação da perna de ex-atacante do Inter aproximou Falcão do Instituto

O dissabor de um antigo jogador colorado seria essencial para a vida de Paulo Roberto Falcão se cruzar com o Instituto da Criança com Diabetes. Sérgio Galocha, atacante do Internacional nos anos 60, precisou amputar uma das pernas devido a uma necrose seca do membro inferior, sendo manchete em Zero Hora. Falcão, que na época trabalhava no jornal, doou a prótese para o ex-colega de Beira-Rio, atitude que resultou numa grande ideia do doutor Balduíno. “Estávamos à procura de um ícone para capitanear esse processo, para fazer a Propaganda. Falcão era muito mais conhecido do que eu, o esporte é algo que aproxima muito as pessoas”, explicou.

O “oitavo Rei de Roma” assumiu a presidência do Conselho de Administração do ICD e a RBS concedeu à instituição a mídia calhau, dando espaço gratuito para a divulgação. “A emissora exibiu a campanha com a música do tijolinho. Foi tudo gratuito na RBS e na agência, menos no ECAD, que não perdoa ninguém. Tivemos que pagar mil reais na época pelos direitos autorais”, se recordou Tschiedel, se referindo à canção da época da Jovem Guarda “O Tijolinho”, de autoria de Wagner Tadeu Benatti e interpretada originalmente por Bobby de Carlo nos anos 60. A música embalou o célebre comercial do ICD veiculado à exaustão na década passada.

A Propaganda Ética e Social para Criança com Diabetes premiada em Paris

O presidente do Instituto Ver Hesíodo Andrade e secretário-geral da ALAP (Associação Latino-Americana de Publicidade), João Firme de Oliveira, entregou o Certificado de Mérito de Responsabilidade Social a Balduíno Tschiedel, confirmando que premiará o projeto social do Instituto da Criança com Diabetes como hors-concours na segunda Edição Extra do Festival Mundial de Publicidade de Gramado, em Paris no dia 21 de setembro na Embaixada do Brasil (o primeiro foi dia 23/9 de 2004 em Paris na Embaixada). “O reconhecimento do Dr. Balduíno é internacional, já que ele preside uma região mundial da Federação de Diabetes”, exaltou João Firme. A decisão do prêmio é do Conselho de Administração da ALAP, cujo site (www.alap.com.br) está recebendo inscrições de projetos e propaganda de responsabilidade social até 31 de agosto. Qualquer cidadão ou entidade pública ou privada pode inscrever um projeto social sem pagar a taxa de inscrição que é de R$ 400,00. Este tipo de premiação de projetos sociais pela Propaganda é vontade do BID-Banco Interamericano de Desenvolvimento que, em março de 2004, firmou convênio em Porto Alegre para que a ALAP conscientizasse as Agências de Propaganda Latinas e do Caribe a divulgarem projetos sociais pelas mídias Impressa (jornais,revistas, outdoor); Eletrônica (cine/tv e rádio) e Web.

O ex-governador do Rotary Internacional Distrito 4680, economista Tirone Michelin, confirmou a assinatura dos protocolos de intenções com o Instituto da Criança com Diabetes, o Instituto do Câncer Infantil e o Instituto Ver em galeto ao meio-dia no próximo dia 10 de junho na Casa da Amizade Senhoras dos Rotarianos de Porto Alegre (Avenida Caçapava, 517). O evento promovido pelo Rotary Club Integração terá a participação das secretarias de Agricultura e Desenvolvimento e da Emater.

Michelin anunciou que o Rotary Club Beira Rio, do qual foi presidente com João Firme, terá sua reunião normal no dia 10 próximo, às 12h no Educandário São João Batista que atende gratuitamente 177 crianças e adolescentes com deficiência física em sua sede na rua Tenente Coronel Mario Doernte no Bairro Ipanema em Porto Alegre. Os palestrantes convidados são: a doutora Rosane da Cruz Ferreira,oftalmologista pediátrica, pesquisadora e cientista da OMS no desenvolvimento do Teste do Olhinho. Esta mulher portoalegrense é a fundadora e diretora técnica do Instituto Ver e recorreu à Propaganda Ética e Social da ALAP para aprovar a primeira lei do Teste do Olhinho no Brasil sancionada em julho de 2008 pelo então prefeito Fogaça. Ela confiou a João Firme a presidência do Conselho de Administração nesses 10 anos do IVER comemorados no dia 1º de março, pois está lecionando para oftalmologistas do mundo por uns tempos na Johns Hopkins, universidade TOP de Medicina Americana e ultimamente tem provado pelas pesquisas que muitas crianças estão sendo clinicadas erroneamente como Autistas quando na verdade precisam é de óculos. O outro conferencista é o Reitor da Universidade de Passo Fundo, jurista José Carlos de Souza e no encerramento um show musical proporcionado pelo passofundense Teixeiriha Filho com a música premiada Hors-Concurs em Paris de seu pai, Querência Amada.

Dorotéo Fagundes encerrou o Encontro do Bem cantando três músicas, a última delas uma homenagem ao compositor Mario Barbará, falecido no último 2 de maio, entoando “Desgarrados”, arrancando lágrimas de João Firme, ao mesmo tempo em que o dr. Balduíno Tschiedel transpareceu sua gratidão em participar do evento promovido pela ALAP e pelo Instituto Ver. “Saio daqui ainda mais engrandecido”, exclamou.

Todas de Acontece

Compartilhe esta notícia:

A Rússia intensificou a preparação contra o terrorismo às vésperas da Copa do Mundo
SEBRAE-RS: vinícolas gaúchas buscam conhecimento em Portugal
Deixe seu comentário
Pode te interessar