Últimas Notícias > Notícias > Política > O presidente Jair Bolsonaro diz que não vai trocar ministros

Federer vence revanche sobre Nadal e busca o nono título em Wimbledon contra Djokovic

Federer venceu por 3 sets a 1, parciais 7/6 (3), 1/6, 6/3 e 6/4, e garantiu vaga na final da competição. (Foto: Reprodução)

Considerada uma das maiores rivalidades de todos os tempos no tênis, Roger Federer e Rafael Nadal se enfrentaram pela 40ª vez nesta sexta-feira (12). Em Wimbledon, onde o suíço foi campeão oito vezes na carreira, em plena semifinal, o suíço soube aproveitar o cenário perfeito para se vingar da última derrota há um mês em Roland Garros e também do último encontro entre eles no Grand Slam britânico, na decisão de 2008. Atuando em alto nível, Federer venceu por 3 sets a 1, parciais 7/6 (3), 1/6, 6/3 e 6/4, em 3h02min, e garantiu vaga na final da competição.

A partida foi disputada em alto nível e foi bem diferente do último confronto entre eles em Roland Garros. Beneficiado pela grama, onde os saques fazem mais diferença que no saibro, o suíço teve um alto aproveitamento (77% dos pontos ganhos com primeiro serviço e 59% com o segundo) à exceção do segundo set para comandar os pontos e chegar à vitória. Nadal, um grande devolvedor, teve trabalho com o jogo agressivo de Federer, que subiu muito à rede (venceu 25 de 33 pontos na subida).

“Estou exausto. Foi difícil no final, ele jogou lances inacreditáveis para seguir no jogo. Acho que o jogo foi em alto nível. A torcida foi incrível. As batalhas contra Rafa são sempre especiais, foi bom. Eu tive momentos em que eu estava sacando muito bem. Tiveram pontos tensos, em ralis. O primeiro set foi muito importante. Ele (Djokovic) jogou uma ótima ótima partida contra o Bautista, fez um torneio incrível, é o atual campeão do torneio. Espero que eu consiga puxá-lo ao limite. Mas sei que será difícil, ele não é número 1 por acaso. É um jogo especial assim como contra o Rafa. Estou bem ansioso”, disse Federer.

A vitória foi a de número 101 de Federer em Wimbledon, que avança para a sua 12ª decisão do torneio. Pelo nono título na carreira no Grand Slam disputado na grama ele terá pela frente Novak Djokovic e terá que novamente superar um número adverso para garantir o troféu: nas duas vezes que teve o sérvio pela frente na decisão em Londres foi derrotado em ambas, em 2014 e 2015.

Curiosamente, Djokovic leva a melhor sobre Federer em todos os quesitos envolvendo a final do próximo domingo, que começa às 10h (de Brasília) e será transmitida pelo SporTV 3. Tanto em Grand Slams, como em Wimbledon e em finais no circuito, além do retrospecto geral, o sérvio leva a melhor.