Últimas Notícias > Atividades Empresariais > Transformações dos Bancos é próximo tema do Tá na Mesa da Federasul

Irmã do pastor assassinado reclama da postura da deputada Flordelis: “Meu irmão não tinha inimigos nem amante”

(Foto: Reprodução/Redes Sociais)

A irmã do pastor Anderson do Carmo, Michele de Souza, chegou à Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (RJ) no início da tarde desta quarta-feira (26) e saiu no início da noite, às 19h. Ao deixar a delegacia, ela afirmou que o irmão não tinha amante, nem inimigos. As informações são do jornal O Globo e do portal de notícias G1.

Eu só espero que a Justiça seja feita. Sinto uma dor muito forte pois ele era o meu único irmão. Meu relacionamento com ele era ótimo. Ele era uma pessoa boa, de coração bom, e que ajudava muita gente. Não tinha inimigos, amante, nada. Era uma pessoa muito querida em São Gonçalo”, afirmou.

Michele disse que nunca percebeu nenhuma desavença entre Anderson e seus filhos, mas revelou que vem estranhando a postura da deputada federal Flordelis com a sua família após a morte do irmão.

Ele tinha mãe, pai, avó, e, até então, ninguém veio nos procurar. Não recebi mensagem de ninguém depois do crime. Agora eu não quero nem que me procure”, desabafou.

Defesa do pastor

Em conversa com a imprensa, a defesa do pastor disse que Michele não teve contato com a cunhada Flordelis desde o dia do crime. O advogado voltou a dizer que a família da deputada federal não está colaborando com as investigações.

Os advogados de Flávio dos Santos e Lucas dos Santos, presos suspeitos de participação na morte de Anderson, também estiveram na delegacia na tarde desta quarta-feira.

Anderson Rollemberg, que defende Flávio, contou que ainda não teve acesso ao inquérito e que acordou com a delegada titular Barbara Lomba de conseguir o acesso às 11h de quinta-feira (27). Ele também revelou que vai aguardar a decisão da polícia antes de recorrer à Justiça sobre a transferência de Flávio para o sistema prisional, que anteriormente estava prevista para terça-feira (25).

Flávio está preso na carceragem da Delegacia de Homicídios desde a segunda-feira (17), quando foi detido durante o enterro da vítima.

“Flávio está em condições precárias. Essa não é uma cela para ficar mais de 24 horas. Ali ele não toma banho, não pega sol, não tem alimentação regrada. Também não tenho sigilo ao conversar com ele, pois conversamos na frente de outros detidos e com policiais na proximidade”, justificou Rollemberg.

Celulares

A Polícia Civil do Rio de Janeiro apreendeu cerca de 20 celulares de pessoas que estavam na casa da deputada federal Flordelis no dia da morte do pastor Anderson do Carmo, marido da parlamentar. 

Na terça-feira (25) o G1 mostrou que os investigadores descobriram que o telefone celular do pastor Anderson foi utilizado horas depois de sua morte. Pelo menos, duas mensagens foram repassadas do aparelho a grupos de amigos. Em uma das mensagens enviadas do celular do pastor Anderson, a pessoa se identifica como filho do marido de Flordelis. A polícia não confirmou até o momento se realmente um filho de Flordelis usou o aparelho.

O texto pede oração e informa que “infelizmente as notícias são verdades”. Para a polícia, o autor queria informar sobre o assassinato de Anderson.