Últimas Notícias > Colunistas > Armando Burd > Um curativo aqui, outro ali

O PCdoB expulsou o prefeito denunciado por abusar e filmar mulheres em seu consultório médico

O próprio prefeito filmava os casos de abuso, sem o consentimento das pacientes. (Foto: Reprodução/TV Globo)

O PCdoB (Partido Comunista do Brasil) anunciou nesta segunda-feira (15) que expulsou da sigla o médico e prefeito de Uruburetama, no Ceará, José Hilson de Paiva, denunciado por várias mulheres de abusar delas enquanto fazia atendimento ginecológico. O próprio prefeito filmava os casos de abuso, sem o consentimento delas.

A Câmara de Vereadores de Uruburetama realizou uma sessão extraordinária nesta segunda-feira (15) para votar o afastamento do prefeito José Hilton de Paiva. Os nove parlamentares presentes decidiram afastá-lo do cargo por 90 dias. Nesta terça-feira (16), o vice-prefeito, Artur Wagner Vasconcelos Nery, deve ser convocado para assumir o cargo.

Diogo Leite Sampaio, vice-presidente da AMB (Associação Médica Brasileira), e Antonio Jorge Salomão, Secretário-Geral da AMB, foram entrevistados d Programa Fantástico, da Rede Globo, exibido no último domingo (14), sobre o caso do prefeito de Uruburetama, que é acusado de praticar desde 1986 o crime de abuso sexual e estupro de suas pacientes, conforme denúncias, apresentadas ao Ministério Público, de mulheres que passaram por consulta ginecológica. O Programa Fantástico teve acesso a 63 vídeos, filmados pelo próprio José Hilson, com 23 pacientes.

A produção do Fantástico pediu a Diogo Leite Sampaio e ao ginecologista e obstetra, Antonio Jorge Salomão, para que avaliassem as imagens e o comportamento de Hilson, e para que dissessem se, em algum momento, havia nos vídeos algo relacionado a uma consulta médica ou à prática de um exame médico considerado habitual, corriqueiro ou normal.

O vice-presidente da AMB, após ver os vídeos declarou que “são imagens de um criminoso que não faz medicina. É muito triste a pessoa usar a confiança depositada nele, pelas pessoas da sua região, para abusar delas num suposto atendimento médico. Além da gravação do atendimento, sem o consentimento das pacientes, o que por si só já é um absurdo, temos ainda o fato de que as pacientes nunca foram examinadas de verdade nesses anos todos, podendo inclusive ter apresentado doenças, que poderiam ter sido evitadas ou tratadas, se fossem atendidas corretamente. Porém, nada disso foi feito. E o mais grave, é que as imagens demonstram claramente estupro das pacientes. Pessoas como ele precisam ser punidos severamente. Os médicos não querem um profissional como esse em seu meio. Os médicos querem que pessoas, como ele, percam seu CRM, sejam presas e punidas severamente”.

Antonio Jorge Salomão, que trabalha há 52 anos como ginecologista e obstetra, classificou as imagens de repugnantes e afirmou que “em nenhum momento o prefeito realizou um atendimento ginecológico. Trata-se de um monstro”.

Leia abaixo a íntegra da nota do PCdoB sobre o caso:

Frente às denúncias veiculadas através das mídias, relativas à conduta ética do médico e prefeito de Uruburetama José Hilson de Paiva, filiado ao PCdoB a partir de setembro de 2015, o Partido Comunista do Brasil – Ceará esclarece aos seus filiados e à população o seguinte: 1- Nos seus 97 anos de existência, o PCdoB sempre se pautou por concepções e princípios éticos condizentes com o que fundamenta o comportamento da maioria dos trabalhadores brasileiros. Dessa forma, repudia os atos que afrontam a dignidade humana cometidos por José Hilson; 2- Considerando a gravidade dos fatos, a Comissão Política Estadual, em reunião extraordinária, decidiu nos termos do artigo 39, parágrafo 6º do Estatuto do PCdoB, pela expulsão de José Hilson de Paiva de suas fileiras, observando-se os trâmites partidários”, diz o comunicado da Comissão Política do PCdoB/Ceará.

O MP-CE (Ministério Público do Estado do Ceará) informou nesta segunda-feira que a investigação em desfavor do prefeito de Uruburetama, José Hilson de Paiva, por suspeita de crimes sexuais é coordenada pelo Núcleo de Investigação Criminal, com o apoio da Promotoria de Justiça de Uruburetama. “Algumas das vítimas que denunciaram o caso à polícia já foram ouvidas pelos promotores de Justiça. Medidas judiciais serão oportunamente tomadas visando elucidar todas as condutas delitivas e punir rigorosamente o responsável”, informou o MP-CE.

Deixe seu comentário: