Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Ala ligada a Eduardo Bolsonaro protocola nova lista pela liderança do PSL na Câmara dos Deputados

Pai deixa bebê de 2 anos trancado dentro do carro no estacionamento de um shopping, gera revolta na internet e agora o Conselho Tutelar procura pelo homem

Seguranças de shopping precisaram forçar janela para retirar bebê do carro. (Crédito: Reprodução)

O caso da criança de 2 anos deixada por cerca de uma hora trancada dentro de um carro pelo pai, no estacionamento de um shopping, enquanto ele fazia compras, gerou grande repercussão nas redes sociais. A postagem de uma testemunha do ocorrido teve centenas de compartilhamentos e comentários que, em sua maioria, condenam a atitude. O fato ocorreu na quinta-feira (26), em Praia Grande, no litoral de São Paulo.

Na postagem em uma página do Facebook, a testemunha relata que acompanhou o trabalho dos seguranças do centro comercial, que foram acionados por duas mulheres que passavam ao lado do veículo quando ouviram o choro da criança. O carro estava com os vidros quase totalmente fechados, com apenas uma pequena fresta para entrar ar.

“Você imagina uma criança trancada no calor daquele subsolo, sem ventilação, vidros fechados e carro desligado? O bebê estava chorando, aos prantos, gritando desesperado, todo suado, já desfalecendo e soluçando”, escreveu a testemunha.

Os seguranças tiveram de forçar a janela para retirar a criança do interior do veículo. Outras pessoas se aproximaram e o bebê acabou sendo acalmado por outra mulher, que lhe deu água. O pai da criança só apareceu cerca de uma hora depois da placa de seu carro ter sido anunciada no sistema de som do shopping. Ele alegou que a própria criança teria pedido para ficar no carro.

A justificativa do pai gerou revolta entre os internautas. “Irresponsável, deixa uma criança de dois anos decidir o que vai fazer? Olha que absurdo”, questionou um rapaz. “Sou mãe de dois meninos e fico passada com publicações desse tipo. Como pode um ser humano deixar o próprio filho dentro do carro? Primeiro que uma criança de dois anos não tem capacidade de decidir o que é melhor para ela. Ele, como pai, deveria ter levado, sim, a criança”, escreveu uma mulher.

O Conselho Tutelar de Praia Grande planeja acompanhar o caso. Segundo a conselheira tutelar Renata Zabeu Luz, o órgão pretende acompanhar o caso de perto para verificar se existe um histórico de maus-tratos por parte dos familiares. Renata pretende localizar a família ainda nesta segunda-feira (30).

“Entramos em contato com o shopping, mas não conseguimos nada. Nesta segunda-feira, vamos até lá pessoalmente tentar alguma informação, algum registro que nos leve até o pai dessa criança. O objetivo é orientar a família e acionar as esferas competentes”, diz. (AG)