Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Com morte em Santo Ângelo, sobe para oito o número de vítimas da gripe no RS em 2019

Um Boeing 737 Max 8 da Southwest Airlines fez um pouso de emergência em Orlando

Boeing 737 Max 8, operado pela Southwest Airlines, teria tido problemas no motor. (Foto: Reprodução)

A FAA (Administração Federal de Aviação) dos Estados Unidos, que regula o mercado de aviação do país, disse que um Boeing 737 Max 8 da Southwest Airlines teve de fazer um pouso de emergência nesta terça-feira em Orlando, Flórida, depois de apresentar um aparente problema no motor.

O avião havia partido de Orlando com destino a Victorville, na Califórnia, onde a Southwest tem guardados os aviões desse modelo. Contudo um problema no motor obrigou os pilotos a regressar a Orlando. Nenhum passageiro estava a bordo. A FAA disse que está investigndo o caso.

Boeing faz voos de teste com o 737 Max

A Boeing realizou voos de teste de seu 737 Max para avaliar uma reparação do sistema apontado como causa potencial de dois acidentes aéreos mortais recentes, disseram nesta terça fontes próximas ao caso.

A gigante da aviação, que desde 13 de março ficou sob fogo cerrado e teve seus emblemáticos aviões impedidos de voar, testou a atualização do sistema na segunda, dois dias após pilotos da American Airlines fazerem voos de simulação em Renton, Washington, disseram as fontes.

A Boeing precisa de autorização da Administração Federal de Aviação antes de o Max poder voltar à ativa. Mas a companhia ainda não apresentou seu conserto de software proposto à FAA, disse uma fonte do governo à AFP.

O avião foi mantido parado em todo o mundo após os acidentes da Ethiopian Airlines no início deste mês e o da Lion Air em outubro, com um total de 346 pessoas mortas.

Em 10 de março, um Boeing 737 Max 8 da companhia Ethiopian Airlines caiu na Etiópia, matando 157 pessoas. O acidente ocorreu apenas cinco meses depois da queda de outro avião do mesmo modelo na Indonésia, quando 189 morreram.

Os engenheiros se concentraram em resolver os problemas com o MCAS, um sistema de estabilização projetado para equilibrar a ponta do 737 Max 8, caso esteja em risco de paralisação ou perda de sustentação.

O sistema tem sido criticado porque pode funcionar mal e dificultar o controle da aeronave pelos pilotos. Ambos os acidentes recentes ocorreram momentos após a decolagem.

O MCAS, ou Sistema de Aumento das Características de Manobra, foi instalado no Max porque é ele mais pesado que a versão anterior do 737.

Um porta-voz da Boeing disse que a empresa está em contato contínuo com os reguladores da atividade aérea local, mas se recusou a fazer comentários.

Versão corrigida do sistema de estabilização está pronta

Fontes importantes da indústria informaram, no sábado, que está pronta a versão corrigida do sistema de estabilização suspeito de ter causado o acidente do Boeing 737 Max 8 da Lion Air, em que 189 pessoas morreram em outubro passado na Indonésia.

A Boeing está pronta para apresentar a atualização aos oficiais e pilotos das linhas aéreas americanas American, SouthWest e United, em Renton, no estado de Washington, onde as aeronaves são montadas, disseram as fontes.

“A Boeing já concluiu as medidas de correção necessárias para o MAX”, destacou uma fonte da indústria em condição de anonimato.

Deixe seu comentário: