Terça-feira, 19 de outubro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil Após passeio de moto em São Paulo, Bolsonaro volta a falar contra máscaras e isolamento social, e a favor de remédios sem eficácia

Compartilhe esta notícia:

Durante o passeio, houve acidentes, multas pelo não uso da máscara, aglomeração, faixas antidemocráticas e descumprimento de leis.

Foto: Reprodução
Durante o passeio, houve acidentes, multas pelo não uso da máscara, aglomeração, faixas antidemocráticas e descumprimento de leis. (Foto: Reprodução)

Em evento organizado por motoclubes, milhares de motociclistas percorreram vias de São Paulo e, durante o passeio, houve acidentes, multas pelo não uso da máscara, aglomeração, faixas antidemocráticas e descumprimento de leis. A polícia de SP acompanhou o passeio ao custo de R$ 1,2 milhão. Presidente discursou ao final do evento e voltou a defender medicamentos sem eficácia contra a covid.

Um passeio de motociclistas em apoio e com a participação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) provocou interdições em vias da capital paulista, na manhã de sábado (12). O evento foi organizado por dezenas de motoclubes de São Paulo e de outros estados e a maioria dos participantes não usou máscaras.

Bolsonaro, seu filho Eduardo, três ministros, o da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, o do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia, e mais cinco deputados, entre eles Carla Zambelli, foram multados por não usarem máscara.

Durante o trajeto, motociclistas se envolveram em acidentes, a maioria cobriu a placa da moto com fitas adesivas e também houve aglomeração. Faixas antidemocráticas pedindo a intervenção militar foram exibidas aos participantes.

No encerramento do passeio, na região do Parque Ibirapuera, Bolsonaro discursou e falou, mais uma vez, contra o uso de máscaras e o isolamento social, e a favor de remédios sem eficácia. O presidente também voltou a dizer que houve excesso de notificações de mortes por covid.

Nesta semana, Bolsonaro afirmou a apoiadores que um documento falso atribuído ao Tribunal de Contas da União (TCU) lançaria dúvida sobre parte dos óbitos registrados em decorrência da pandemia. Pouco depois da declaração, o TCU negou que tenha emitido algum relatório questionando o número de mortes por covid em 2020.

Estudos científicos já comprovaram a ineficácia do uso de medicamentos como cloroquina e ivermectina no tratamento contra a covid.

Percurso

A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo afirmou que gastou mais de R$ 1,2 milhão com o reforço no policiamento na capital paulista e região de Jundiaí.

Por conta do passeio, a PM fez bloqueios em vias como a Avenida Santos Dumont, Avenida do Estado, Marginal Tietê, Rodovia dos Bandeirantes e Avenida Pedro Álvares Cabral. Sete linhas de ônibus também foram desviadas.

A Prefeitura de São Paulo gastou R$ 75 mil com a contratação de gradis para auxiliar na organização e contenção de público, conforme solicitação do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

Sem máscara, Bolsonaro chegou ao evento intitulado “Acelera para Cristo”, por volta das 10h, e provocou aglomeração. Com a chegada do presidente, os motociclistas iniciaram o deslocamento. Além de vias da capital paulista, o evento inclui uma ida até Jundiaí, pela Rodovia dos Bandeirantes. No total, o trajeto foi de cerca de 120km foi encerrado na região do Ibirapuera, na Zona Sul.

Durante o trajeto, motociclistas caíram de suas motos. No km 30, um homem sofreu uma fratura no pé, sem gravidade, e foi socorrido pela equipe da concessionária.

Multas

Tanto Bolsonaro, como o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, foram multados por equipes de saúde e segurança pública de São Paulo por não usarem máscara durante o passeio.

Cada um deles foi multado em R$ 552,71 por desrespeito a um decreto estadual que obriga o uso da máscara para prevenir a propagação do coronavírus.

Segundo o governo do estado, os três receberam um auto de infração aplicando a multa e apontando a “necessidade da manutenção das medidas preventivas já conhecidas e preconizadas pelas autoridades sanitárias internacionais, como uso de máscara e distanciamento social”.

Além de Tarcísio, os ministros Marcos Pontes e Ricardo Salles participaram do passeio.

Placas

A maioria das motos, assim como a comitiva de Bolsonaro, estava com a placa coberta, para evitar a identificação.

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, por meio de sua assessoria de imprensa, as regras do Código de Trânsito Brasileiro só valem para vias abertas para circulação.

Para o especialista Luiz Célio Bottura, engenheiro e consultor de trânsito, o CTB se aplica ao passeio de motos de Bolsonaro, mesmo as ruas estando bloqueadas para interferência externa. O CTB afirma que todas as placas devem possuir caracteres identificadores, dando a prerrogativa, a algumas autoridades, de usar cores diferenciadas de identificação.

A lei também determina que todos os veículos devem possuir placas identificadores quando transitarem em vias abertas. No caso do passeio, as vias foram cercadas pela PM. Mas Bottura afirma que, mesmo assim, o CTB se aplica no caso em concreto. Segundo o especialista, “não existe forma de bloquear a legislação”.

O Código Penal prevê como crime, sujeito a até 6 anos de prisão e multa, adulterar identificação de um veículo, como as placas. A incidência da lei inclui cobrir a identificação de placas de carros e motos.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Bolsonaro estuda trocar o líder do governo no Congresso
Governo federal prepara medida provisória que abre caminho para o racionamento de energia
Deixe seu comentário
Pode te interessar