Sábado, 06 de Março de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Mostly Cloudy

#coronavírus As aglomerações continuam desafiando as autoridades em Porto Alegre. Na Cidade Baixa, um bar foi interditado

Compartilhe esta notícia:

Trecho da rua Fernando Machado (Centro Histórico) é um dos focos do problema. (Foto: Divulgação/PMPA)

Em mais uma ação conjunta com a Brigada Militar e fiscais da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), na madrugada deste sábado (23) a Guarda Municipal de Porto Alegre voltou a realizar operação especial contra aglomerações de pessoas dentro e fora de locais de entretenimento. Um bar foi interditado no bairro Cidade Baixa.

O estabelecimento autuado fica na Rua Lima e Silva, um dos mais movimentados pontos boêmios da capital gaúcha. Trata-se, também, de um dos principais focos de incidentes e reclamações sobre descumprimento de normas sanitárias de prevenção à Covid.

Dentro do local os agentes flagraram aproximadamente 80 pessoas. Além desse contingente extrapolar a lotação máxima permitida para o local, diversos frequentadores estavam sem máscara e não respeitavam o distanciamento mínimo. Eles foram orientados sobre a importância do uso do item de proteção para evitar o contágio por coronavírus.

A força-tarefa percorreu, ainda, as ruas Fernando Machado (Centro Histórico) e Padre Chagas (Moinhos de Vento). Ambas também têm sido cenário de problemas desse tipo, exigindo a atuação constante por parte de fiscais e policiais, o que representa atualmente um desafio a ser solucionado pela prefeitura e órgãos de segurança pública.

Colaboração

Segundo a administração municipal, a fiscalização prossegue neste fim de semana e nos próximos dias. O comandante da Guarda Municipal, Marcelo Nascimento, ressalta o fato de que a população pode colaborar, não apenas respeitando os protocolos previstos em leis estaduais e municipais, como também encaminhando denúncias aos telefones 153 e 156.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de #coronavírus

Porto Alegre não terá o desfile competitivo no Porto Seco neste Carnaval
A Justiça do Trabalho condenou uma rede de supermercados de Porto Alegre a indenizar em 40 mil reais um funcionário que sofreu homofobia por colegas e chefes
Deixe seu comentário
Pode te interessar