Terça-feira, 26 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Partly Cloudy / Wind

Educação Aulas programadas são recursos da rede pública estadual para contornar paralisação de atividades presenciais

Compartilhe esta notícia:

Aluno da Escola Cônego Josué Bardin, do município de Vanini, focado nos estudos das aulas programadas.

Foto: Ascom Seduc
Aluno da Escola Cônego Josué Bardin, do município de Vanini, focado nos estudos das aulas programadas. (Foto: Ascom Seduc)

As aulas presenciais estão suspensas em toda a rede estadual de ensino até 2 de abril, conforme o Decreto N° 55.118. Esse período, que é de conscientização e engajamento da população para combater a disseminação do coronavírus, também é de dedicação dos professores com o teletrabalho e de empenho dos alunos por meio das aulas programadas.

A iniciativa pedagógica, que tem o objetivo de desenvolver atividades curriculares à distância para que os estudantes continuem recebendo conteúdos e mantenham sua carga horária anual, está ocorrendo em plataformas digitais e aplicativos variados.

As aulas programadas estão disponibilizadas de modo que todos tenham acesso, seja por mensagens de WhatsApp ou Facebook, compartilhamento de arquivos de áudio e vídeo, por e-mail, por salas virtuais no Google ou até mesmo pela entrega de materiais didáticos nas áreas rurais do Estado,

“Nós tivemos preocupação em não caracterizar este momento como um período de férias. É um momento de cuidado e conscientização, mas também uma oportunidade de desenvolver a criatividade. Tanto para os professores, por meio do teletrabalho e da formação continuada disponível no Portal da Educação, como para os alunos, que terão uma infinidade de conteúdos físicos e digitais para explorar seu conhecimento”, destaca o secretário da Educação, Faisal Karam.

O diretor do Departamento de Educação da Seduc (Secretaria da Educação), Roberval Furtado, esclarece que os recursos pedagógicos utilizados durante o período de suspensão das aulas são de autonomia de cada instituição de ensino. “As atividades propostas pela metodologia das aulas programadas não precisam, necessariamente, da internet. Os educadores podem utilizar das mais variadas formas de atividades que vão desde a produção de textos à elaboração de vídeos; da utilização do caderno ao blog da escola”, explica.

Escolas estaduais

No interior e na Capital, as aulas programadas já começaram. Com conteúdos diversificados e produções interativas que auxiliam nas atividades práticas, como a robótica educacional e as disciplinas de Artes, Matemática, Física e Química, as didáticas domiciliares estão se tornando rotina na vida de milhares de crianças e jovens.

Este é o caso do Instituto de Educação Ernesto Alves, no município de Rio Pardo, da 6ª CRE (Coordenadoria Regional de Educação). A professora Carla Pinho conta como as tarefas de sala de aula são desenvolvidas neste período. Em reunião com o corpo docente, foi acordada a utilização do WhatsApp por ser um recurso disponível a todos, professores e alunos. “Eu trabalho especificamente com o curso Normal e decidi associar o uso deste aplicativo com algumas possibilidades digitais. Então escolhi utilizar o Google ClassRoom, que é uma sala virtual, e o Google Sites para desenvolver e planejar minhas aulas programadas”, afirma.

Na região da 8º Coordenadoria Regional de Educação, no município de Santa Maria, o Instituto Estadual Luiz Guilherme do Prado Veppo também está usando a criatividade para manter os estudantes atentos. A professora de Língua Portuguesa Mariele Molletta Bolzan criou um link com uma sala de vídeo virtual com horários diferenciados para cada turma. “Estamos utilizando uma ferramenta moderna justamente para chamar a atenção dos alunos para as atividades propostas. Cada turma, separada por turno e série, terá o seu período definido ao longo do dia. As tarefas serão todas elaboradas neste ambiente digital e entregues a partir do dia 3 de abril no retorno das atividades presenciais”, conta.

A diretora Lídia Maria Viana Vieira, da Escola Antônio José de Assis Brasil, do município de São Gabriel, da região da 19ª Coordenadoria Regional de Educação, entregou pessoalmente os materiais didáticos aos alunos das áreas rurais da cidade nesta terça-feira (24). “A realidade desta região é bem diferente de outras do Estado que contam com espaços urbanos predominantes. Por isso, estamos indo na casa de cada estudante para mantermos os conteúdos e as atividades curriculares em dia. Para mim, esta é uma ação gratificante”, afirma.

Aulas programadas

As aulas programadas são atividades escolares, presenciais ou não, previamente elaboradas com base em objetos de conhecimentos já abordados em sala, compreendendo um conjunto de aulas a serem cumpridas pelos estudantes e seus respectivos professores. A entrega das atividades dos alunos será realizada após o retorno das aulas presenciais na rede estadual de ensino.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Educação

Decreto adia início da restrição para circulação de idosos
Prefeitura interdita lojas e orienta idosos sobre o coronavírus
Deixe seu comentário
Pode te interessar