Domingo, 19 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Thunder in the Vicinity

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Política Bolsonaro afirmou que, se eleito, irá propor um novo modelo de urna eletrônica

Compartilhe esta notícia:

Candidato quer que apenas o Supremo possa tirar o aplicativo do ar. (Foto: ABr)

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, afirmou que, se for eleito, irá propor um novo modelo de urna eletrônica. No primeiro turno, ele pôs em xeque a confiabilidade dos equipamentos utilizados atualmente. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo e da agência de notícias Reuters.

Bolsonaro afirmou no sábado (13) que é “escravo” da Constituição Federal de 1988. O presidenciável criticou a ideia de convocação de uma assembleia constituinte, que chegou a constar no rol de propostas do candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, mas acabou sendo descartada pelo petista. Para ambos os candidatos, alterações na Constituição deverão ser feitas por emendas.

“Se estamos nos submetendo ao povo, temos um norte, somos escravos da Constituição”, disse Bolsonaro ao comentar vídeo que gravara em que tratava da importância do respeito à Carta, num intervalo nas gravações de imagens para a campanha eleitoral na TV, na casa do empresário Paulo Marinho, no Jardim Botânico, zona sul do Rio.

Bolsonaro afirmou que a Constituição “tem alguns itens” dos quais discorda, mas, caso eleito, o governo tentará alterações via emendas.

Urna eletrônica

“Podemos mudar até a Constituição, não vai ser a urna que não vai ser mudada”, afirmou ao defender um modelo que possa ser auferido por meio de votos impressos, paralelos aos digitados na máquina. Ele lembrou que isso pode ser feito mesmo que o Supremo Tribunal Federal tenha definido a continuidade do voto eletrônico.

Decadência

Jair Bolsonaro visitou nesta segunda-feira (15) o quartel do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro e disse que a violência na cidade só se compara com a de países em decadência como a Venezuela, e foi aplaudido por agentes da corporação após prometer ser um deles no poder, se eleito.

O ex-capitão do Exército, que ainda está sob restrição dos médicos para atos de campanha em consequência de facada sofrida no mês passado em Juiz de Fora (MG), fez um breve discurso a membros do Bope no quartel do batalhão na zona sul do Rio de Janeiro, que teve um vídeo divulgado na conta oficial do candidato no Twitter.

“O que acontece no tocante à criminalidade no Rio não acontece em lugar nenhum do mundo, a não ser em países que estão em processo de decadência total, como a Venezuela”, disse Bolsonaro, que prometeu lutar para “preservar a vida humana das pessoas de bem”, como os policiais.

tags: Bolsonaro

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Bolsonaro retaliou fiscais do Ibama após ser multado por pesca irregular
Coordenador da campanha de Fernando Haddad acredita que Ciro Gomes era a melhor estratégia para ganhar a eleição presidencial
Deixe seu comentário
Pode te interessar