Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre

Política Bolsonaro condecora o ministro da Educação e o procurador-geral da República com a Ordem do Mérito Naval

Compartilhe esta notícia:

Portaria foi o último ato do ex-ministro Abraham Weintraub, que viajou para os Estados Unidos. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro decidiu condecorar o ministro da Educação, Abraham Weintraub, com a Ordem do Mérito Naval, no Grau de Grande Oficial, a mais alta da condecoração, em meio a polêmicas envolvendo o ministro, que terá que se explicar por ter dito, em uma reunião ministerial, que gostaria de ver presos os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

O decreto foi publicado nesta sexta-feira (29) no Diário Oficial. Weintraub foi intimado esta semana, depois de decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes de que deveria prestar esclarecimentos por suas declarações durante a reunião.

Além de Weintraub, a condecoração também será dada ao procurador-geral da República, Augusto Aras, que tem sido elogiado pelo presidente, ao mesmo tempo em que é criticado por tomar posições em defesa do governo.

Na noite de quinta-feira (28), em sua live semanal, o presidente disse que Aras tem tido uma “atuação excepcional” à frente da PGR e sugeriu que pode indicá-lo ao STF, caso tenha direito a uma terceira vaga na corte durante o seu mandato. Atualmente, a previsão é de que Bolsonaro possa indicar nomes para os lugares de Celso de Mello e Marco Aurélio Mello, que se aposentarão, respectivamente, este ano e em 2021.

Além de Weintraub e Aras, constam na lista dos condecorados com grau de oficial os ministros Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral da Presidência da República, e Marcelo Álvaro Antonio, do Turismo, além de deputados como Hélio Lopes (PSL-RJ) e Philippe de Orleans e Bragança, da base bolsonarista.

No total 29 civis receberão a condecoração pela primeira vez e outros seis serão promovidos de grau. Algumas dezenas de militares também serão condecorados.

Depoimento

Em meio à escalada de tensão entre o presidente Jair Bolsonaro e ministros do STF, Abraham Weintraub prestou depoimento nesta sexta-feira no inquérito das chamadas fake news, após declarações dadas por ele em reunião ministerial do dia 22 de abril, afirmou à Reuters uma fonte com conhecimento do caso. Segundo a fonte, o depoimento ocorreu no prédio do Ministério da Educação em Brasília.

Procurada, a assessoria de imprensa do ministério disse, por meio de nota, que “por se tratar de inquérito sigiloso, qualquer informação sobre o caso deve ser requerida junto ao juízo da causa. Portanto, a pasta não irá se manifestar”. As informações são da agência de notícias Reuters.

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Os preços da indústria brasileira subiram 0,12% em abril puxados pela alta dos alimentos
A Caixa já pagou mais de 76 bilhões de reais em auxílio emergencial
Deixe seu comentário
Pode te interessar