Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

Brasil Bolsonaro condecora Olavo de Carvalho e o general Mourão com a mais alta honraria da diplomacia

Mourão (E) tem sido alvo de críticas de Olavo, que é considerado o guru da ala ideológica do governo de Bolsonaro (D). (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente da República, Jair Bolsonaro, condecorou dois desafetos em um único ato. O chefe do Executivo federal concedeu ao escritor Olavo de Carvalho e ao vice-presidente, o general Hamilton Mourão, o grau máximo da Ordem Nacional de Rio Branco, de Grã-Cruz, indicado para autoridades de alta hierarquia.

O decreto com a homenagem foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União na última terça-feira (30). Segundo o Itamaraty, a Ordem Nacional de Rio Branco é uma comenda que o presidente do Brasil atribui a personalidades que “pelos seus serviços ou méritos excepcionais, se tenham tornado merecedoras dessa distinção”.

Além de Olavo e Mourão, outras 33 pessoas receberam de Bolsonaro o mais alto grau da Ordem. Entre as autoridades homenageadas neste nível estão 12 ministros, nove governadores e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Entre os ministros agraciados estão Paulo Guedes (Economia) e Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública). Já entre os governadores constam nomes como João Doria (SP), Ibaneis Rocha (DF) e Romeu Zema (MG).

Radicado nos Estados Unidos, Olavo de Carvalho é considerado um guru da ala ideológica do governo de Jair Bolsonaro. Ele também é conhecido por fazer duras críticas à ala militar do governo, em especial ao vice, Hamilton Mourão, a quem já se referiu como “idiota”.

Outro alvo das críticas de Olavo é o ministro da Secretaria de Governo, general Santos Cruz. No início de abril, Olavo disse nas redes sociais que Santos Cruz “ofende de maneira brutal” o presidente.

O escritor incentivou ainda o deputado federal Marco Feliciano (Pode-SP) a apresentar um pedido de impeachment contra o vice-presidente. Reagindo às críticas de Olavo, Mourão disse que o escritor deveria “se limitar à função que ele desempenha bem, que é de astrólogo”.

Embora Olavo tenha recebido a homenagem, regulamento do Itamaraty indica que o grau de Grã-Cruz deve ser concedido ao “Presidente da República, Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado Federal, Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministros de Estado, Governadores dos Estados da União e do Distrito Federal, Almirantes, Marechais, Marechais-do-Ar, Almirantes-de-Esquadra, Generais-de-Exército, Tenentes-Brigadeiros, Embaixadores estrangeiros e outras personalidades de hierarquia equivalente”.

No mesmo decreto, o presidente também homenageou dois de seus filhos, mas em grau inferior. O senador Flavio Bolsonaro (PSL-RJ) e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) receberam o grau de Grande Oficial, o segundo mais importante da Ordem.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Empresários aprovam medida provisória que melhora o ambiente de negócios no Brasil
O governo estuda ceder pontos na lei que combate fraude em aposentadorias
Deixe seu comentário
Pode te interessar