Segunda-feira, 29 de novembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Colunistas Bruxismo: O que é e como tratar

Compartilhe esta notícia:

Ato pode acontecer devido a fatores psicológicos como estresse e ansiedade. (Foto: Reprodução)

O bruxismo é caracterizado pelo ato inconsciente de apertar ou ranger os dentes constantemente, principalmente à noite. Como consequência, é possível que a pessoa tenha dor nas articulações da mandíbula, dentes desgastados e dor de cabeça ao acordar. O bruxismo pode acontecer devido a fatores psicológicos como estresse e ansiedade, ou estar relacionado com fatores genéticos e respiratórios.  Esta atividade é realizada pelos músculos da mastigação e por não apresentar nenhuma função, pode trazer diversas consequências para o paciente, como lesões orofaciais, desgastes dentários, lesão periodontal, distúrbios da articulação temporomandibular (DTM) e dor muscular.

São dois tipos de bruxismo existentes, como o próprio nome já indica: o diurno, que acontece quando o paciente está acordado, e o noturno, que está ligado principalmente a um distúrbio de sono. Além da ocorrência em horários distintos, o bruxismo diurno, também chamado de briquismo, se caracteriza pela pressão dentária (apertamento) e tem relação com fatores emocionais.

Além disso, o refluxo também pode favorecer o bruxismo, isso porque a diminuição do pH do esôfago aumenta a atividade do músculo da mastigação. Outros sintomas do bruxismo são: dor e zumbido no ouvido, dor no pescoço, na mandíbula e nos músculos da face por causa do esforço realizado pelos músculos da mastigação, estalos ao abrir e fechar a boca e alterações do sono. A intensidade e a frequência das crises podem variar de uma noite para outra.

As consequências do bruxismo são:

– Desgaste do esmalte dentário e até mesmo da dentina;
– Quebra dos dentes e das próteses;
– Sensibilidade dentária;
– Dor e alteração da mobilidade dos dentes;
– Dor facial devido à força com que os músculos maxilares são pressionados;
– Dor de cabeça;
– Fadiga facial geral;
– Dor na articulação temporomandibular.

Existem muitos sinais e sintomas que podem ajudar a diagnosticar a presença de bruxismo. Um exemplo é dor de cabeça, desde cefaleias a enxaquecas, passando por uma eventual sensação de pressão na testa ou na nuca. Também aparecem sintomas de dor ao nível da articulação temporomandibular que podem incluir dor, estalidos (barulhos), ressaltos ou até luxação ou sub-luxação da mesma. No caso de já se verificar desgaste do côndilo da mandíbula pode haver também limitação na abertura e fecho da boca. Dor, barulhos ou zumbidos nos ouvidos e, por vezes, a sensação de ouvido tapado, podendo haver mesmo diminuição da audição, podem ser identificados nesta alteração.

Outras características podem ser tonturas, vertigens, enjoos ou vômitos e até mesmo nevralgias, que normalmente está associadas ao nervo trigêmeo.

Para efetuar o tratamento, é primordial diagnosticar quais os fatores responsáveis pelo bruxismo. O tratamento conservador é indicado na maioria dos casos, porém, em alguns casos, o diagnóstico do Dentista é necessário. Também existem alguns exames complementares que podem auxiliar o diagnóstico.

A inibição da tensão muscular do Masseter é um dos objetivos do tratamento conservador. A utilização de manipulações diretas sobre a ATM, possuem um grande efeito inibitório de dor, uma vez que as disfunções podem chegar a provocar outros sintomas como dor irradiada até os ouvidos, estalidos articulares ao mover a mandíbula, dor ao fechar a mandíbula e hipermobilidade articular. O osteopata e o fisioterapeuta são responsáveis pelas abordagens do tratamento conservador.

Sentir dor nunca é algo normal, é um sinal que o corpo está emitindo para que você fique atento a algum problema que pode estar acontecendo. Por isso, se as dores de cabeça estão se tornando mais frequentes, e dores musculares e no maxilar começam a aparecer, é bom procurar um profissional de saúde para entender o motivo por trás disso, pois o bruxismo pode estar fazendo parte da sua vida e você nem sabe. Além disso, cansaço e desconforto durante a mastigação também são possíveis sinais de que o apertamento e o ranger de dentes estão presentes na sua rotina.

Entre em contato com a redação e compartilhe sobre o que mais você gostaria de ler por aqui. A sua dúvida é a de muita gente.

Filipe Guerrero Gracia – Osteopata DO MRO Br

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Fatos históricos do dia 16 de outubro
Fatos históricos do dia 17 de outubro
Deixe seu comentário
Pode te interessar