Quinta-feira, 29 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Cloudy

Economia Caixa Econômica Federal conclui nesta segunda-feira o pagamento do FGTS emergencial

Compartilhe esta notícia:

Calendário segue mês de nascimento do beneficiário

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O atendimento será até o  meio-dia. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A Caixa Econômica Federal libera nesta segunda-feira (21) o crédito dos novos saques do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para os trabalhadores nascidos em dezembro. Com isso, o banco conclui os pagamentos do saque emergencial do FGTS.

Os pagamentos serão feitos em poupança social digital da Caixa e, em um primeiro momento, os recursos estarão disponíveis apenas para pagamentos e compras por meio de cartão de débito virtual. O saque em espécie ou transferências, também dos aniversariantes de dezembro, estarão liberados a partir de 14 de novembro.

Liberação

Essa nova liberação do saque do FGTS se deu por meio de uma medida provisória, em razão da pandemia do novo coronavírus, que afetou as atividades econômicas e a renda dos trabalhadores.

A MP (medida provisória), no entanto, perdeu a validade no início de agosto, depois que o Congresso deixou de votar a medida no tempo previsto. A Caixa informou, no entanto, que vai manter o calendário de pagamentos. Segundo o Ministério da Economia, um decreto deve ser editado disciplinando a produção dos efeitos.

Calendário

Para evitar aglomerações nas agências, a Caixa fixou datas diferentes para a liberação do crédito em conta e para o saque em espécie ou transferência dos valores. O calendário considera o mês de nascimento do trabalhador.

Valor dos saques

Têm direito aos saques os trabalhadores que tenham contas ativas (do emprego atual) ou inativas (de empregos anteriores) do FGTS. Cada trabalhador pode sacar até R$ 1.045. Se o trabalhador tiver mais de uma conta de FGTS, o saque será feito primeiro das contas de contratos de trabalho extintos (inativas), iniciando pela conta que tiver o menor saldo.

Depois, o dinheiro será sacado das demais contas, também iniciando pela que tiver o menor saldo. Independentemente do número de contas do trabalhador, o valor não pode passar de R$ 1.045. Assim, ninguém poderá tirar mais do que esse valor, ainda que tenha duas ou três contas com saldos superiores a essa quantia.

A previsão é que a operação movimentará durante todo o calendário mais de R$ 37,8 bilhões para aproximadamente 60 milhões de trabalhadores.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Após seis meses de sessões remotas, Senado faz votações presenciais nesta semana
Último dia do inverno tem sol e temperaturas amenas no Rio Grande do Sul
Deixe seu comentário
Pode te interessar