Sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Fair

Geral Com gol de pênalti de Neymar, o PSG renasce na Liga dos Campeões

Compartilhe esta notícia:

Pênalti cobrado com tranquilidade por Neymar garantiu a vitória por 1 x 0 em casa sobre o RB Leipzig. (Foto: PSG/Divulgação)

O PSG (Paris Saint-Germain) retomou as esperanças de chegar à fase eliminatória da Liga dos Campeões da Europa com um pênalti cobrado com tranquilidade por Neymar que garantiu a vitória por 1 x 0 em casa sobre o RB Leipzig pelo grupo H do torneio nesta terça-feira (24).

Foi o primeiro gol de Neymar após seis jogos sem marcar na principal competição europeia, mas o PSG passou aperto durante todo o jogo. Com o resultado, ultrapassou o Leipzig para ficar no segundo lugar do grupo.

Os campeões franceses têm seis pontos após quatro partidas, três atrás dos líderes do Manchester United, e à frente do terceiro colocado Leipzig apenas nos critérios de desempate.

Na próxima rodada, dia 2 de dezembro, o PSG enfrenta o Manchester United em Old Trafford, enquanto o Leipzig visita o Istanbul Basaksehir, que tem três pontos.

Em outro confronto do torneio nesta terça, o atacante Erling Haaland, do Borussia Dortmund, marcou duas vezes na vitória da equipe alemã sobre o Club Brugge, e lidera o Grupo F com a classificação para as oitavas-de-final do campeonato quase garantida com duas rodadas de antecedência.

O norueguês, que marcou quatro vezes contra o Hertha Berlin pelo campeonato alemão no último sábado, tem agora 16 gols em seus 12 jogos na Liga, a maior marca de qualquer jogador na história da competição para esse número de partidas disputadas.

O Borussia, que pega a Lazio na próxima rodada, tem nove pontos após quatro partidas, enquanto os italianos têm oito e o Brugge aparece em terceiro com quatro pontos. Em último lugar no grupo está o Zenit St. Petersburg. As informações são da agência de notícias Reuters.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

A eficácia da vacina da Universidade de Oxford contra o coronavírus varia entre 62% e 90%, diz a farmacêutica AstraZeneca
A Organização das Nações Unidas condena o racismo estrutural no Brasil e pede investigação independente sobre o assassinato de João Alberto em supermercado de Porto Alegre
Deixe seu comentário
Pode te interessar