Quinta-feira, 02 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
10°
Mostly Cloudy

Economia Contas do governo federal registram em abril o pior resultado da história, com rombo de R$ 93 bilhões

Compartilhe esta notícia:

Rombo ocorreu em meio à crise provocada pelo coronavírus

Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Rombo ocorreu em meio à crise provocada pelo coronavírus. (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

Com perda de arrecadação e aumento dos gastos públicos pelo governo federal em meio à pandemia do novo coronavírus, as contas públicas registraram em abril um déficit mensal recorde de quase R$ 93 bilhões. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (28) pela Secretaria do Tesouro Nacional.

Esse foi o pior resultado mensal da série histórica, iniciada em 1997. O déficit primário indica que as despesas superaram as receitas, mas não inclui os gastos com juros da dívida pública. Os números mostram também que, em um mês, o rombo fiscal quase atingiu o valor registrado em todo o ano passado: R$ 95 bilhões.

De acordo com a equipe econômica do governo, o déficit de abril foi motivado por uma perda de arrecadação de R$ 43 bilhões por conta do coronavírus (redução do nível de atividade e adiamento no pagamento de tributos, além da diminuição de alguns impostos sobre produtos médicos e zinco).

Por outro lado, a pandemia do coronavírus aumentou os gastos públicos em cerca de R$ 60 bilhões no mês passado (despesas com auxílio emergencial e linha de crédito para financiar as folhas salariais das empresas).

“No mês de abril, as despesas em resposta à crise Covid-19 totalizaram R$ 59,4 bilhões, com destaque para o auxílio emergencial a pessoas em situação de vulnerabilidade social (R$ 35,8 bilhões), a concessão de financiamento para o pagamento de folha salarial (R$ 17 bilhões) e as despesas adicionais do Ministério da Saúde e demais ministérios (R$ 4,8 bilhões)”, informou o Tesouro Nacional.

Já no acumulado de janeiro a abril deste ano, o rombo nas contas do governo federal somou R$ 95,762 bilhões, ante R$ 2,762 bilhões no mesmo período do ano passado.

Rombo fiscal

A Secretaria do Tesouro Nacional estimou que o rombo nas contas do setor público consolidado (governo, Estados, municípios e empresas estatais) deverá chegar a 708,7 bilhões em 2020 – 9,9% do PIB (Produto Interno Bruto). Se confirmado, esse será o maior valor da série histórica.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Presa quadrilha comandada por detentos que ameaçava comerciante em Porto Alegre
Fiocruz aponta retomada no aumento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave no Brasil
Deixe seu comentário
Pode te interessar