Quinta-feira, 04 de Março de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Cloudy

Acontece Em entrevista exclusiva, comunicador Xicão Tofani fala sobre sua recuperação da covid-19

Compartilhe esta notícia:

Xicão Tofani passou 40 dias internado com coronavírus em Porto Alegre. (Foto: Rede Pampa/Divulgação)

Um dos maiores ícones da comunicação gaúcha está retornando à cena! Xicão Tofani, que integra o time de estrelas do Atualidades Pampa, concedeu entrevista exclusiva à Ali Klemt, na qual contou detalhes sobre sua batalha contra a covid-19, iniciada há quase 4 meses. Em outubro do ano passado, Xicão precisou ser internado ao descobrir estar infectado, travando uma luta firme contra o vírus.

Em fase final de recuperação, após passar 40 dias no hospital, o comunicador conta detalhes sobre sua vida e as lições que leva após passar por esta experiência tão marcante, sem perder o bom humor que lhe é habitual.

Confira abaixo a entrevista:

1) Em outubro, você teve covid e acabou sendo internado. Como foram os primeiros dias? O que você sentiu?

Eu estava achando que poderia estar com covid, a partir daí, eu liguei para o meu amigo Francisco Santa Helena, que disse: “vem aqui, Xicão, fazer um exame”. Fiz o exame e estava com covid. Naquele mesmo dia que eu recebi o exame, eu me senti muito mal. Fui para a minha casa, chamei a minha irmã e ela me levou direto para o Hospital de Clínicas. Eu entrei na UTI direto! Fiquei 23 dias intubado… isso é quase que um recorde, porque um cara intubado mais que 10 dias, já era. Eu fiquei 23 dias. Saí de lá e daí vim para uma clínica, tipo flat, que tu pode receber pessoas e tem um ambiente mais agradável. Estou aqui até agora para a recuperação, que não é fácil, mas é uma provação legal para tu saber os teus limites e tu te recuperar do ponto de vista espiritual, porque nós vivemos uma vida muito de imagem, muito de carros, festas… Foi essa a minha vida durante muitos anos e agora eu estou tendo uma reavaliação de tudo isto aí.

2) Durante o teu tempo internado, tu lembras de alguma coisa? Ou ficou inconsciente?

Só me aconteceu uma coisa que me lembro, que está passando em uma série da Netflix, que fala das pessoas que voltaram da morte para a vida. Eu estava em um túnel preto e tinha um filete vermelho na lateral e nessa minissérie aparece fotos de pessoas que tiveram com esse filete lateral em algumas cores… Única coisa que eu me lembro, o resto não lembro nada.

3) Em relação à tua recuperação, tu achas que foi força de vontade?

Eu pensei que as pessoas não gostavam tanto de mim, porque um cara que está todo o dia na televisão, com uma vida que é um “réveillon”, acorda com uma roupa Dolce & Gabbana, vai mergulhar na piscina e jantar em um lugar maravilhoso… Essa imagem “esnobe”, que sempre foi calcada na minha personalidade, lá no fundo as pessoas gostam, eu acho. Elas enxergam que, por dentro, tem uma pessoa muito bacana, muito humana.

4) Tu mencionaste um Xicão mais espiritualizado. Depois desta experiência, vem um Xicão muito melhor por aí?

Eu acho que vem uma pessoa mais espiritualizada, menos competitiva, em um sentido que chega até ser um antagonismo.

5) Como está o teu dia a dia agora? Ainda estás te recuperando, mas a gente vê que tu estás com toda a pilha para retornar à TV.

O que eu faço é o que os médicos pedem: fisioterapia todos os dias para movimentar a massa muscular que eu perdi. Pra tu teres uma ideia, eu perdi 21 quilos! Um cara que já era magro, ficou mais magro ainda! E muita gente diz assim: “tu está com o corpitcho para colocar uma sunga, ir lá para Atlântida e dar uma banda no Bali Hai”. Eu tenho feito fisioterapia sempre de manhã e troca de curativo, que é a parte mais dolorosa. E tem uma dieta que o doutor Diogo César, que me acompanha, fez pra mim. Agradeço a Deus por estar aqui! Eu sou um privilegiado.

6) O Biden ganhou as eleições presidenciais dos Estados Unidos. Tu vais ganhar um jantar do teu colega Rafael Marconi por conta da aposta que fizeram. Tens acompanhando o Atualidades Pampa?

Eu acompanho todo o dia, mas essa eleição, eu “cantei essa pedra” bem antes. O que o Trump fez é um roubo, depois invadiram o Congresso. E o Bolsonaro eu tinha “cantado pedra” que ele seria o presidente. Ele tinha meio por cento nas eleições, todo mundo só falava de Haddad e Ciro Gomes. Agora as próximas eleições para presidente da República eu não sei, não sei como o povo vai reagir. Vi muitas pessoas no hospital falando que o governo não dava importância para quem estava com coronavírus e eu me aprofundei nisso. Acredito que o governo Bolsonaro ajuda muitos Estados, ajudou com R$ 800 milhões de reais. O problema dele é que ele não tem aquele fair-play para falar, ele fala de “gripezinha”… essas questões. Mas acredito que ele é um cara honesto. Passamos por uma época dos governos de esquerda que roubaram tudo, mas meu ídolo continua sendo o Sérgio Moro, um cara como ele não existe. Uma pessoa que coloca o presidente da República na cadeia e depois sai do Ministério para ser o professor de uma universidade… sou fã dele.

7) Tu serviste de exemplo para muita gente que tem medo. Agora está aí, firme e forte, e ainda com um novo livro que está saindo do forno.

Este livro que vai ser feito é para que as pessoas tenham noção de que o mais importante de tudo é tu ter fé e acreditar que vai sair dessa! A vida é o mais importante!

8) Agora temos a vacina né, Xicão?

Fui vacinado. Fui um dos primeiros vacinados em Porto Alegre. Falaram: “ah, você foi vacinado já que é amigo do governador”. Não é por causa disso. Fui vacinado pelo simbolismo que trago.

9) Qual mensagem tu deixas para os telespectadores que te acompanharam nesta jornada? O que tu deixaria de conselho?

É difícil dar conselhos, é algo muito pessoal. Eu estou muito feliz hoje de estar aqui, de escrever um livro para mostrar que isso não foi em vão. Alguém vai ler e vai dizer: “ele batalhou, foi legal”. Quero mostrar para os outros que a fé é a coisa mais incrível que tem. O que existe é a fé em Deus e acreditar em si.

10) Qual a primeira coisa que tu vais fazer quando estiver 100% recuperado?

Voltar para a televisão, na Pampa, porque eu sou um cara muito fiel aos meus princípios. Eu comecei na Pampa com uma oportunidade dada pelo Dr. Otavio Gadret. Comecei fazendo um programa na Rádio Universal, um programa chamado Papparazzi. Eu vou voltar em breve para o programa que eu amo muito que é o Atualidades Pampa que, ganhou o prêmio de Melhor programa de TV do Rio Grande do Sul! É o melhor programa de TV do Estado. Nosso programa destaca o talento puro de cada participante.

11) Como está o teu coração? Está solteiro? O que uma mulher perfeita tem que ter?

Sou solteiro, não tenho filhos, apareço na televisão todos os dias e ainda tenho casa própria! (risos) E aí? A mulher tem que ser inteligente, parceira e tem que ter aquele charme. A mulher legal é aquela que cuida de ti (risos). Ninguém me cuidou. Mas agora vou ser aquele cara que nunca gostei: vou andar de camisa polo cor de rosa, subir à Serra com a mulher, andar de mãos dadas… Eu nunca fui assim, mas agora estou pronto para me apaixonar, deixar de ser o “bambambam”.

11) Depois de passar por este período complicado, tu ficaste com algum medo?

Não. Sem mágoa. Eu acho que o que fica é uma lição de humanização. Eu vivia muito sem perdão, agora vivo com perdão.

12) Um recado para os fãs?

Vocês tem que assistir a TV Pampa, principalmente o Atualidades Pampa quando o Xicão Tofani tá lá. É um programa que te mostra o teu dia-a-dia, o que está acontecendo conosco aqui.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Acontece

Em meio a rumores de reconciliação, Gusttavo Lima lança a música “Super Ex”
O Ministério Público apura denúncias de favorecimento na aplicação da vacina em ao menos 10 Estados e no Distrito Federal
Deixe seu comentário
Pode te interessar