Sábado, 02 de julho de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Agro Empresa espanhola vai captar energia eólica em alto-mar no Rio Grande do Sul

Compartilhe esta notícia:

“O Rio Grande do Sul tem grande potencial para a geração de energia a partir de fontes renováveis", afirmou Ranolfo. (Foto: Gustavo Mansur /Palácio Piratini)

O governador Ranolfo Vieira Júnior assinou um memorando de entendimento com a empresa espanhola Ocean Winds para potencializar a geração de energia renovável no Rio Grande do Sul. O objetivo da parceria com a companhia, sediada em Madri e com subsidiária no Brasil, é permitir a construção de projetos de produção de energia eólica offshore, que é uma fonte renovável e não poluente obtida pelo aproveitamento da força do vento que sopra em alto-mar.

“O Rio Grande do Sul tem um grande potencial para a geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis, com destaque para a tecnologia eólica. Essa assinatura representa isso e é um primeiro passo. Uma etapa muito importante para o desenvolvimento do Estado, pois, se concretizados os dois projetos para nossa costa, teremos investimentos na ordem dos R$ 100 bilhões, com uma geração de emprego de 10 mil vagas durante a construção e 4 mil na operação”, afirmou o governador.

O Estado tem capacidade para gerar 100 gigawatts de energia com ventos em terra. Em alto-mar, beneficiado pela inexistência de barreiras para os cataventos girarem, são mais de 114 gigawatts. “Se somarmos essas duas capacidades, produzimos, hoje, apenas 5% do total da energia proporcionada pelos ventos. Isso significa que temos uma área com muita possibilidade de crescimento. Além disso, o porto do Rio Grande também pode ser um grande potencializador”, explicou o chefe da Casa Civil, Artur Lemos.

O diretor de desenvolvimento de novos negócios da Ocean Winds, José Partida Solano, apresentou os projetos para o Estado e comentou a expectativa para a execução. “Nossa expectativa é começar a operação até 2030. Neste momento, estamos em fase de licenciamento junto ao Ibama. É um prazer assinar esta cooperação com o governo do RS. Temos presença em todo o Brasil e acreditamos no potencial daqui. Será uma nova indústria para a região Sul”, afirmou.

A Ocean Winds, uma joint venture das empresas multinacionais Engie (francesa) e EDPR (portuguesa), tem cinco projetos no país, sendo dois deles no RS. Um deles está localizado no Litoral Norte (nomeado Marinha de Tramandaí, com potencial de 700 megawatts) e o outro, em uma extensa faixa do Litoral Sul, de Tramandaí até Mostardas (chamado de Ventos do Sul, com potencial de 6,5 gigawatts).

Também participaram do evento o secretário de Desenvolvimento Econômico, Joel Maraschin, e o secretário adjunto do Meio Ambiente e Infraestrutura, Guilherme de Souza.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Agro

Combinação de árvores, gado e pastagens numa mesma área beneficia propriedades rurais
Chega a quase 40 mil o número de mortes por coronavírus no Rio Grande do Sul
Deixe seu comentário
Pode te interessar