Domingo, 14 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Geral “Existe chance de a guerra se expandir além da Ucrânia”, diz a Finlândia

Compartilhe esta notícia:

Ministro das Relações Exteriores da Finlândia, Pekka Haavisto diz que arquitetura da segurança europeia “mudou completamente”. (Foto: Reprodução/Twitter)

O ministro das Relações Exteriores da Finlândia, Pekka Haavisto, disse nesta sexta-feira (1º), que a possibilidade de a guerra na Ucrânia se espalhar para outros países da Europa é grande.

“É claro que é uma possibilidade. E é justamente por esse motivo que nós devemos apoiar a Ucrânia neste momento”, disse ele em entrevista à rede CNN.

Haavisto disse ainda que existem chances claras de os ucranianos vencerem a guerra pelo fato de eles estarem muito unidos, ressaltando que o moral do Exército do país é maior neste momento que o dos russos.

Para o ministro, não havia outra escolha a não ser abrir mão da neutralidade, à medida que a Rússia se torna cada vez mais uma ameaça à segurança. De acordo com ele, há uma nova cortina de ferro separando os russos do restante da Europa, uma vez que a “arquitetura de segurança europeia foi quebrada após o início do conflito”.

“Há preocupações com as conversas soltas sobre armas nucleares e armas químicas. A invasão da Ucrânia mudou toda a atmosfera de segurança do planeta”, disse ele, temendo que possa se instaurar uma nova crise dos mísseis semelhante à cubana, durante a Guerra Fria.

Esse, inclusive, é um dos motivos principais para a adesão da Finlândia à Otan, ele afirma. Embora tenha um forte exército tradicional, não há como o país se defender sozinho de ameaças por “armas não convencionais”.

Finlândia e a Suécia na Otan

A Finlândia e a Suécia deixaram de lado a neutralidade histórica e decidiram se juntar oficialmente à Otan devido a temores de um possível ataque russo. Para os finlandeses, a preocupação é ainda maior, uma vez que compartilham mais de 1.300 quilômetros de fronteira com a Rússia.

No entanto, a adesão sofria resistência da Turquia devido a questões envolvendo grupos curdos, que pedia garantias satisfatórias de que as nações estariam dispostas a abordar o que considera apoio aos grupos curdos que são designados como organizações terroristas pelo país.

Na última terça-feira (28), durante a Cúpula de Madri, líderes dos três países chegaram a uma solução e o governo turco anunciou que aprovaria a entrada de Finlândia e Suécia na Aliança, com o pedido formal sendo feito já na quarta-feira (29). As informações são da revista Veja.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

O blog já morreu? Veja cinco absurdos que falam sobre isso
Governo gaúcho anuncia redução de 71 centavos no ICMS da gasolina
Deixe seu comentário
Pode te interessar