Sexta-feira, 23 de julho de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Geral Gêmeos siameses que dividiam o mesmo coração morrem 12 horas após nascimento em Cuiabá

Compartilhe esta notícia:

Os bebês, que eram meninos, foram reanimados e chegaram a ser transferidos para UTI, mas sofreram três paradas cardíacas.

Foto: Divulgação
Os bebês, que eram meninos, foram reanimados e chegaram a ser transferidos para UTI, mas sofreram três paradas cardíacas. (Foto: Divulgação)

Os gêmeos siameses que dividiam um coração nasceram na sexta-feira (18), no Hospital Universitário Júlio Müller, em Cuiabá, mas não resistiram e morreram 12 horas após o nascimento.

Os bebês, que eram meninos, foram reanimados e chegaram a ser transferidos para a Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTI), mas sofreram três paradas cardíacas. De acordo com o hospital, eles morreram por compartilharem um único coração, o que impossibilitou a sobrevida, apesar de todos os esforços das equipes médicas.

A mãe dos meninos, Arlete do Nascimento Pinheiro, de 22 anos, que é moradora de Várzea Grande, região metropolitana da capital, passa bem e se recupera.

Ela já havia contado sobre a angústia de não saber se os filhos iriam sobreviver. Os bebês eram grudados do tórax ao abdômen e dividiam um único coração.

“Foi bem difícil, principalmente pelo fato de que ser mãe de novo era a realização de um sonho para mim. A minha filha pede demais isso, então no momento em que a médica falou: ‘seus bebês são siameses’, eu falei: o que é isso? por que?’. Eu saí da ultrassonografia sem rumo”, contou.

Desde o início da gravidez, ela faz acompanhamento com dois médicos. Segundo Arlete, os especialistas disseram que não será possível fazer a cirurgia de separação.

A manicure morava no Acre com a família. Há dois anos, eles se mudaram para a capital de Mato Grosso em busca de uma vida melhor.

Cada um dos meninos tinham seus rins, o estômago, bexiga, mas o principal eles dividiam, que é o coração. Por causa disso, o médico já havia informado que não seria possível fazer a cirurgia de separação.

Por causa disso, os pais tentavam viver um dia de cada vez. Em meio às incertezas, Arlete e o marido ainda não chegaram a escolher o nome dos filhos.

Primeiro caso

O primeiro caso de atendimento a gestação de gêmeos siameses no Hospital Júlio Mûller ocorreu em 1997 e em 2010, houve o primeiro nascimento bem-sucedido de duas meninas, que puderam ser separadas com sucesso.

Gêmeos siameses são um fenômeno raro. Estima-se que haja um caso para cada 200 mil nascimentos. Em 40% a 60% destes casos, os bebês chegam natimortos. Por ano, apenas algumas separações são realizadas no mundo.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Coleta de lixo em Porto Alegre: segunda empresa colocada é homologada vencedora para contratação emergencial
Lideranças religiosas denunciam violência de equipes policiais que buscam por serial killer do Distrito Federal
Deixe seu comentário
Pode te interessar