Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Rio Grande do Sul Governador gaúcho condena “excesso de violência que levou à morte de um cidadão negro” em Porto Alegre

Compartilhe esta notícia:

Governador se reuniu com o comandante-geral da BM, a chefe de Polícia do RS e delegado plantonista

Foto: Itamar Aguiar/Palácio Piratini
Governador se reuniu com o comandante-geral da BM, a chefe de Polícia do RS e delegado plantonista. (Foto: Itamar Aguiar/Palácio Piratini)

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, comentou, na manhã desta sexta-feira (20), o espancamento até a morte de um cliente no supermercado Carrefour localizado no bairro Passo D’Areia, na Zona Norte de Porto Alegre.

“Hoje é o Dia da Consciência Negra. Infelizmente, nesta data em que deveríamos celebrar políticas públicas e avanços na luta por igualdade racial, deparamos com cenas que nos deixam indignados pelo excesso de violência que levou à morte de um cidadão negro”, afirmou Leite.

“Todas as circunstâncias em que este crime ocorreu estão sendo apuradas, e os envolvidos foram detidos. Aos familiares e amigos da vítima, o João Freitas, toda nossa solidariedade e a certeza de que a investigação será rigorosa para que haja consequência deste ato lamentável”, disse o governador.

Leite se reuniu com a chefe de Polícia, delegada Nadine Anflor, com o comandante-geral da Brigada Militar, coronel Rodrigo Mohr Picon, e com o delegado plantonista Leandro Bodoia.

Segundo a chefe de Polícia, os dois agressores foram presos em flagrante e autuados por homicídio triplamente qualificado, por motivo fútil, asfixia e recurso que dificultou a defesa da vítima. Mais duas pessoas serão investigadas ao longo do inquérito.

“A Polícia Civil hoje dá uma resposta a essa intolerância que aconteceu ontem dentro de um mercado. No dia 10 de dezembro, vamos inaugurar a primeira Delegacia de Intolerância, que é um lugar apropriado e específico para que as pessoas possam buscar informações, não apenas efetuar denúncias, para que possamos mudar essa triste realidade das intolerâncias e do racismo que acabam gerando consequências na sociedade, como este caso”, disse a delegada Nadine.

Crime

João Alberto Silveira Freitas, 40 anos, foi morto na noite de quinta-feira (19) por seguranças do supermercado. Segundo a Polícia Civil, após um desentendimento com uma funcionária no caixa do estabelecimento, o homem foi levado para o estacionamento, onde ocorreram as agressões.

A funcionária é fiscal de caixa. Ela alegou que o cliente, que fazia compras com a sua mulher, teria ameaçado agredi-la, e os seguranças foram acionados. Nas imagens das câmeras de vigilância, é possível ver o homem sendo imobilizado e levando vários socos de dois seguranças. Os agressores foram presos. Um deles é policial militar temporário.

Os supermercado está fechado nesta sexta. A segurança foi reforçada no local. “O Carrefour informa que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão”, afirmou a rede em nota.

Confira o pronunciamento de Eduardo Leite:

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

“As imagens são horripilantes”, diz secretário da Segurança do RS sobre assassinato em supermercado em Porto Alegre
Polícia realiza operação contra o “golpe dos nudes” no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina
Deixe seu comentário
Pode te interessar