Sexta-feira, 03 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
Fair

Brasil Homem ligado à morte da vereadora Marielle Franco encontrado com 117 fuzis em casa é solto pela Justiça

Compartilhe esta notícia:

Eles são acusados de obstrução de Justiça, porte de arma e associação criminosa. (Foto: Guilherme Cunha/Alerj)

O policial civil Alexandre Motta de Souza, pego com 117 fuzis desmontados dentro de casa e que pertenciam ao sargento da Polícia Militar Ronnie Lessa, foi solto pela Justiça neste final de semana. Lessa é réu na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes, no ano passado.

A decisão da  juíza Alessandra Bilac, da 40ª Vara Criminal do Rio, foi de encontro ao parecer do Ministério Público que foi a favor da soltura. A apreensão foi uma das maiores da história do Rio de Janeiro.

De acordo com a defesa de Alexandre, ele é amigo de Lessa há anos e recebeu a encomenda sem saber do que se tratava. De acordo com o advogado, Leonardo da Luz, ele inclusive demonstrou muita surpresa ao saber que eram fuzis que estavam em sua casa.

Na ultima sexta-feira (7), Lessa participou da primeira audiência de instrução e julgamento do Caso Marielle, que está sob segredo de justiça. Lessa era vizinho do presidente Jair Bolsonaro e usava uma foto dele em sua conta no WhatsApp.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Tiroteio no Rio de Janeiro deixa três mortos e um ferido
Em jogo amistoso no estádio Beira-Rio, a Seleção Brasileira venceu Honduras por 7 a 0, maior goleada desde que Tite assumiu o comando da equipe
Deixe seu comentário
Pode te interessar