Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Fair

Celebridades Lady Gaga fala sobre fama: “Odiava ser estrela do pop e tinha pensamentos suicidas”

Compartilhe esta notícia:

Para a cantora, a fama piorou a sua depressão, e ser tratada como objeto era o gatilho para a sua infelicidade

Foto: Reprodução
Para a cantora, a fama piorou a sua depressão, e ser tratada como objeto era o gatilho para a sua infelicidade. (Foto: Reprodução)

Lady Gaga falou, na entrevista para Lee Cowan para a CBS Sunday Morning, sobre a batalha contra a depressão e as dificuldades com a fama. De acordo com a cantora, ela chegou a ter inclusive pensamentos suicidas nos períodos de crise.

“Minha maior inimiga era a ‘Lady Gaga’. Você simplesmente não pode ir ao supermercado. Se você vai jantar com sua família, alguém vem à mesa. Você não pode jantar com sua família sem que isso seja sobre você, é sempre sobre você. O tempo todo é sobre você”, explicou ela.

A cantora aproveitou para falar sobre as canções de seu novo álbum, Chromatica, que abordam muito seu lado mais sombrio da vida – incluindo as crises envolvendo sua saúde mental. “Não há uma única música nesse álbum que não seja verdade, nenhuma.”

Citando a letra da música 911, a cantora explicou que se trata de uma “referência ao medicamento que eu tinha que tomar quando costumava entrar em pânico porque sou ‘Lady Gaga’.”

“Eu odiava ser famosa, odiava ser uma estrela, me sentia exausta e esgotada. Nem sempre é fácil deixar as pessoas saberem que você tem problemas mentais. Eu costumava mostrar, e costumava me machucar. Dizia, ‘Olha eu me corto, vejo que estou sofrendo.’ Porque eu não pensei que alguém pudesse ver porque a saúde mental é invisível.”, disse a cantora, admitindo que chegou a ter inclusive pensamentos suicidas todos os dias em sua pior fase.

“Eu realmente não entendia por que deveria viver além de estar lá para minha família. Esses foram pensamentos e sentimentos reais, do tipo ‘por que eu deveria ficar por aqui?'”, disse.

Para a cantora, a fama piorou a sua depressão, e ser tratada como objeto era o gatilho para a sua infelicidade. “Se eu estou no supermercado e alguém chega muito perto de mim e coloca um celular bem na minha cara e começa a tirar fotos, eu fico em total pânico, dor no corpo inteiro. Fico com muito medo. É como se eu fosse um objeto, não uma pessoa.”, explicou.

Gaga disse ainda que o lançamento de seu novo álbum foi um grande avanço e que a ajudou a encontrar “uma maneira de se amar novamente”. “Eu não odeio mais Lady Gaga. Agora eu olho para este piano e penso, ‘Meu Deus, meu piano, meu piano que eu amo tanto. Meu piano, que me permite falar, meu piano que me permite fazer poesia. Meu piano é meu.’”, concluiu.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Celebridades

Patricia de Sabrit fala de “Malhação” e vida na França com a família
Luana Piovani testa positivo para o coronavírus e fica isolada em quarto longe dos filhos
Deixe seu comentário
Pode te interessar