Sábado, 25 de maio de 2024

Porto Alegre

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Política Lulistas x bolsonaristas: pesquisa traça raio-x dos dois grupos

Compartilhe esta notícia:

A pesquisa “A Cara da Democracia” foi feita com 2.558 entrevistas presenciais de eleitores em 167 cidades.

Foto: Rovena Rosa/Tomaz Silva/Agência Brasil
A pesquisa “A Cara da Democracia” foi feita com 2.558 entrevistas presenciais de eleitores em 167 cidades. (Foto: Rovena Rosa/Tomaz Silva/Agência Brasil)

A pesquisa “A Cara da Democracia”, realizada entre os dias 22 e 29 de agosto pelo Instituto da Democracia (IDDC-INCT), traçou os perfis dos eleitores mais simpáticos ao presidente Lula e aqueles que declaram estar alinhados com as ideias do ex-presidente Jair Bolsonaro.

A aproximação de opiniões prevalece em temas nos quais os brasileiros em geral pendem mais para posições conservadoras em agendas de costumes. O estudo elenca que, mesmo entre os eleitores que declaram gostar de Lula, a maioria é contra legalizar as drogas (71%) e o aborto (77%).

Esse grupo é menor, se comparado ao percentual daqueles que afirmam gostar de Bolsonaro, mas representa a visão majoritária nessa faixa do eleitorado. Entre os mais simpáticos ao ex-presidente, os contrários à legalização do aborto atingem 90%, enquanto 83% dizem o mesmo sobre as drogas.

Por outro lado, Lulistas e Bolsonaristas estão alinhados quanto ao tema que trata da prisão de mulheres que interrompam a gravidez. Esse índice é de 65% entre quem gosta de Lula, e de 53% entre quem simpatiza com Bolsonaro.

A redução da maioridade penal é outro tópico em que os dois lados concordam. Entre quem gosta muito de Lula, 62% se dizem a favor, enquanto 77% dos eleitores pró-Bolsonaro declaram o mesmo.

Os dados da pesquisa mostram um comportamento divergente dos segmentos pró-Lula e pró-Bolsonaro quando o assunto é direitos da população LGBTQIA+. Os mais simpáticos ao petista apoiam em peso o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo (60% a favor e 38% contra) e a adoção por essas famílias (63% a favor e 35% contra). Já entre os mais identificados com o ex-candidato do PL os percentuais são invertidos: 69% são contra o casamento civil de gays e lésbicas, e 60% se opõem à adoção por esses casais.

Na pauta moral, a distância entre os dois espectros políticos fica evidente ainda em relação à pena de morte. Os que gostam de Lula são contrários (64%) a essa sentença, enquanto os apoiadores de Bolsonaro se dividem: 49% defendem a pena de morte e 47% não.

A diferença entre os dois segmentos fica mais exacerbada em perguntas sobre a preferência pela democracia, que trazem alertas para as instituições brasileiras. Simpáticos a Bolsonaro admitem, por exemplo, mais outras formas de governo que não a democracia (40%, ante 33% entre quem gosta muito de Lula) e seguem desacreditando nos resultados das eleições presidenciais de 2022 (72% dizem que foi Bolsonaro quem ganhou o pleito). Também consideram justificável, em maior proporção, militares tomarem o poder quando há muita corrupção (73%). Entre simpáticos a Lula, esse índice é de 38%.

Pelo menos 45% dos eleitores que gostam muito de Bolsonaro apontam a imprensa tradicional como principal disseminadora de desinformação no país. Entre os lulistas, esse índice cai para 27%. Para esse segmento, é Bolsonaro e seu grupo político que ocupam a primeira posição (50%).

Entre os que gostam muito de Bolsonaro, o índice dos que declaram ser falso que vacinas fazem mais mal que bem a crianças é 12 pontos percentuais menor (67%, contra 79% entre lulistas), embora ainda represente mais da metade dos entrevistados. Esse segmento acredita ainda em uma conspiração global da esquerda para tomar o poder (65%).

O percentual dos que apontam que organizações não-governamentais são as principais responsáveis pelo desmatamento e queimadas também é maior nesse segmento (11%, ante 4% entre simpáticos a Lula).

Ainda assim, boa parte dos eleitores que gostam muito do ex-presidente responsabiliza, na contramão do discurso de Bolsonaro, que fazendeiros de grandes propriedades, madeireiros e políticos são os maiores responsáveis por ações antiambientais (19% cada).

Tanto simpáticos a Lula quanto os que mais gostam de Bolsonaro acreditam que a China criou novo coronavírus (53% e 74%, respectivamente). Nos dois grupos, por outro lado, a maioria não acha que a terra é plana (72% dos que gostam de Lula, e 79% dos que veem Bolsonaro mais positivamente).

A pesquisa “A Cara da Democracia” foi feita com 2.558 entrevistas presenciais de eleitores em 167 cidades, de todas as regiões do país. O Instituto IDDC-INCT reúne pesquisadores das universidades UFMG, Unicamp, UnB e Uerj. A margem de erro é estimada em dois pontos percentuais para mais ou menos e o índice de confiança é de 95%.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Mais de 200 gaúchos já registraram em cartório sua vontade sobre o uso de imagem pessoal após a morte
Governo do Rio Grande do Sul divulga novas medidas para auxiliar municípios mais afetados pelo ciclone
https://www.osul.com.br/lulistas-x-bolsonaristas-pesquisa-traca-raio-x-dos-dois-grupos/ Lulistas x bolsonaristas: pesquisa traça raio-x dos dois grupos 2023-09-12
Deixe seu comentário
Pode te interessar