Terça-feira, 03 de agosto de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil Manchas de óleo chegam a Porto Seguro e atingem as praias de Arraial D’Ajuda e Trancoso, no litoral da Bahia

Compartilhe esta notícia:

Limpeza de praias em Salvador. (Fotos: Secom/Salvador)

As manchas de óleo que atingem o litoral da Bahia chegaram à cidade de Porto Seguro, no sul da Bahia, nesta quinta-feira (31). As praias atingidas ficam nos distritos de Arraial D’Ajuda e Trancoso – dois dos destinos turísticos mais procurados do Estado.

As manchas foram identificadas por pescadores e moradores da região, e confirmadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Porto Seguro. A secretaria ficou de enviar nota sobre a situação das praias.

O distrito que tem mais praias atingidas é Arraial D’Ajuda: três locais – praia do Mucugê, de Pitinga e de Taípe. Em Trancoso, a aparição foi de pequenas porções de fragmentos do óleo.

Até esta quinta-feira (31), Porto Seguro é o município mais ao sul da Bahia afetado pelo óleo que atinge o litoral do Nordeste do País. A proximidade com a área de Abrolhos preocupa moradores e ambientalistas pelos impactos que o óleo pode provocar caso chegue ao banco.

O Banco de Abrolhos tem área total de 48.899 km². Segundo o biólogo Eduardo Camargo, do Instituto Baleia Jubarte, o banco vai da Ponta do Corumbau, no município baiano de Prado, a cerca de 45 km de Porto Seguro, até o norte do Espírito Santo.

Dentro da área do Banco de Abrolhos está o chamado Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, a cerca de 100 km depois da Ponta do Corumbau. O parque é a única área totalmente protegida dentro do banco, por conta da sua biodiversidade, e ocupa somente 1,8% do território (882 km²). De Belmonte até o parque, são cerca de 200 km² (em linha reta).

O Banco de Abrolhos também é berço da baleia jubarte, que faz dessa região seu refúgio de reprodução e amamentação, entre os meses de julho e novembro. Preocupados e na tentativa de evitar que o óleo chegue à região de Abrolhos, muitos pescadores montaram uma verdadeira ‘operação de guerra’, com o auxílio de voluntários.

Sem recursos emergenciais ou equipamentos do poder público, eles usam materiais dos próprios pescadores ou disponíveis no ambiente, como barcos de variados tamanhos, puçás, redes e cortinas feitas com siripoias e galhos de casuarina.

Manchas na Bahia

As manchas de óleo começaram a chegar no Estado em 3 de outubro, quase um mês após o início do problema no País. O Estado foi o último a receber a substância. Mais de 300 praias já foram afetadas pelo óleo em todo o Nordeste.

O governador da Bahia em exercício e vice, João Leão, assinou um Decreto Estadual de Emergência para liberação de recursos para mais 15 municípios do Estado, no dia 29 de outubro. Os municípios são: Belmonte, Cairu, Camamu, Canavieiras, Igrapiúna, Ilhéus, Itacaré, Itaparica, Ituberá, Maraú, Nilo Peçanha, Taperoá, Una, Uruçuca e Valença.

No dia 14 de outubro, Camaçari, Conde, Entre Rios, Esplanada, Jandaíra e Lauro de Freitas já tinham recebido a liberação dos recursos, totalizando 21 cidades atendidas.

Segundo a assessoria do governo, com o decreto fica autorizada a mobilização de todos os órgãos estaduais, no âmbito das suas competências, nas ações de resposta ao desastre, reabilitação e reconstrução dos cenários. As informações são do portal G1.

tags: bahiaóleo

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

O novo juro da Caixa Federal pode reduzir o financiamento da casa própria em mais de 100 mil reais
A caderneta de poupança está rendendo menos do que a inflação
Deixe seu comentário
Pode te interessar