Quarta-feira, 08 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Light Drizzle

Economia McDonald’s anuncia corte de US$ 300 milhões para sair da crise

Compartilhe esta notícia:

A companhia também vai acelerar a transferência de restaurantes, elevando o total de unidades franqueadas para 90% em 2018. (Foto: Toru Yamanaka/AFP)

O McDonald’s anunciou um plano de reestruturação que inclui o corte de US$ 300 milhões custos até 2017 e o aumento de franquias na tentativa de reanimar suas vendas. A cadeia de fast food vem sofrendo com o abandono de hambúrgueres e fritas pelos consumidores dos EUA, que passaram a buscar alimentos vistos como mais saudáveis.

Sob o plano do novo presidente-executivo, Steve Easterbrook, a companhia será reorganizada em quatro segmentos, agrupando mercados com características semelhantes. Os dois maiores, respondendo 40% da receita operacional, são os EUA e os “grandes mercados internacionais”, entre os quais Austrália, Canadá, França e Alemanha.

Os mercados de alto crescimento – China, Itália, Polônia, Coreia do Sul, Espanha, Suíça e Holanda– respondem por 10% da receita operacional, enquanto os “mercados fundacionais” incluem cerca de cem outros países. “Ter grupos de mercados semelhantes controlados por uma mesma pessoa criará urgência e rapidez”, diz Easterbrook, e ajudará a reduzir a burocracia do McDonald’s.

A companhia também vai acelerar a transferência de restaurantes, elevando o total de unidades franqueadas para 90% em 2018, ante os 81% atuais, e abrirá mil novas casas por ano. Analistas, no entanto, questionaram se Easterbrook fez o suficiente para acompanhar a revolução nos gostos dos consumidores, que ele admite que sua empresa não conseguiu acompanhar.

“Nos últimos cinco anos, o mundo se moveu mais rápido fora da empresa que dentro dela”, disse ele, em vídeo de 23 minutos. “Não vou hesitar diante da necessidade de reordenar nossa companhia.” O presidente-executivo britânico, que substituiu Don Thompson em março, disse que o plano para fazer do McDonald’s “uma companhia de hambúrgueres moderna e progressista” reconhecia a realidade de que “nosso desempenho vem sendo ruim”.

As ações do McDonald’s fecharam em baixa de 1,7%. Analistas consideraram o plano pouco detalhado, dadas as expectativas acumuladas desde a indicação de Easterbrook. “Acreditamos que o grande desafio será seduzir a geração milênio e reverter o resultado de vendas nas lojas já estabelecidas”, diz Efraim Levy, analista da S&P Capital IQ.

Cadeias tradicionais de fast food como o McDonald’s têm perdido clientes para os chamados restaurantes “fast casual”, como a cadeia de comida mexicana Chipotle. Easterbrook já havia anunciado diversas medidas para reanimar a marca, o que inclui reformular o cardápio dos restaurantes, novas campanhas de marketing e a redução do uso de antibióticos nas galinhas usadas para produzir seus alimentos. (Folhapress com Financial Times)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Ativos da OAS à venda cobrem só 32% da dívida da companhia
Terremoto destruiu 668 escolas e danificou outras 2.228 no Nepal
Deixe seu comentário
Pode te interessar