Domingo, 28 de Fevereiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

Economia Ministério da Economia pede informações sobre “monitoramento de preços de produtos básicos”

Compartilhe esta notícia:

Associação Brasileira de Supermercados disse que os estabelecimentos "não são vilões"

Foto: Agência Brasil
Associação Brasileira de Supermercados disse que os estabelecimentos "não são vilões". (Foto: EBC)

O Ministério da Economia informou na quinta-feira (10) que a Secretaria de Advocacia da Concorrência e Competitividade enviou ofício ao Ministério da Justiça pedindo informações referentes ao “monitoramento de preços de produtos básicos”.

O ofício foi enviado depois que a Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor) notificou representantes de supermercados e produtores de alimentos para pedir explicações sobre o aumento dos preços dos alimentos da cesta básica.

Na quarta-feira (09), a Senacon informou que os notificados têm cinco dias para explicar a alta nos preços do arroz, entre outros alimentos. No mesmo dia, o presidente Jair Bolsonaro recebeu o presidente da Associação Brasileira de Supermercados, João Sanzovo Neto. Ele disse que os supermercados “não são vilões”.

A alta dos preços dos alimentos da cesta básica tem preocupado o governo, especialmente o valor do arroz, que já subiu 19,2% neste ano. Na quarta-feira, a Câmara de Comércio Exterior decidiu reduzir a zero – até 31 de dezembro deste ano – a alíquota do imposto de importação para o arroz em casca e beneficiado. O objetivo é aumentar a oferta de arroz para reduzir o preço.

Em transmissão ao vivo em uma rede social na quinta-feira, Bolsonaro afirmou que o ministro da Justiça, André Mendonça, falou com ele antes de notificar os supermercados sobre a alta no preço do arroz.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Petrobras reduz, pela segunda vez nesta semana, os preços da gasolina e do diesel nas refinarias
Falta de documentos é uma das principais razões para o INSS negar benefícios
Deixe seu comentário
Pode te interessar