Sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
27°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Economia Ministro da Economia decide reestruturar equipe, substituir secretário da Receita Federal e criar uma nova secretaria especial

Compartilhe esta notícia:

20% dos entrevistados acreditam que a economia vai piorar. (Foto: Washington da Costa/ME)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, decidiu promover uma reestruturação na equipe da pasta, incluindo uma substituição no comando da Receita Federal e a criação de uma nova secretaria especial para reunir setores e órgãos relacionados a estudos econômicos, informou uma fonte com conhecimento do assunto.

O atual secretário da Receita, José Barroso Tostes Neto, deve ser nomeado para o cargo de adido do governo brasileiro na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), em Paris. Ainda não há decisão fechada sobre quem assumirá o comando da Receita, mas a tendência é que seja um nome de dentro do Fisco.

Moção de desconfiança

Na segunda-feira (29), a assembleia geral do Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco) aprovou uma moção de desconfiança a Tostes. O documento critica o secretário por, segundo o sindicato, se omitir em temas como a reposição de postos de auditores e a regulamentação de teletrabalho.

Um membro do ministério afirma que não há relação direta entre esse episódio e a substituição do secretário.

Estudos Econômicos

Entre as mudanças definidas por Guedes, está a criação da Secretaria Especial de Estudos Econômicos, que reunirá o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Secretaria de Política Econômica (SPE) e parte da Secretaria de Produtividade e Competitividade. A nova estrutura será comandada pelo atual secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida.

Em outra alteração, o atual secretário de Produtividade e Competitividade, Carlos da Costa, deve ser enviado para a embaixada do Brasil em Washington. Ele ocupará posto a ser criado de adido comercial do Ministério da Economia.

Para substituir Costa, também deve ser encontrada uma solução interna na pasta. O relato de uma fonte é que seria muito difícil trazer profissionais do setor privado para trabalhar no ministério às vésperas de ano eleitoral. Procurado, o Ministério da Economia não comentou. As informações são da agência de notícias Reuters.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Mas, afinal, o que é uma recessão e como ela afeta o País? Entenda
Inadimplência registra recorde em outubro e atinge mais de 63 milhões de brasileiros, diz Serasa
Deixe seu comentário
Pode te interessar