Terça-feira, 26 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Cloudy

Rio Grande do Sul Uma técnica de enfermagem de 44 anos é nona pessoa morta pelo coronavírus no Rio Grande do Sul

Compartilhe esta notícia:

Porto Alegre lidera o número de casos no RS, e idosos seguem sendo o público de maior risco.

Foto: Anselmo Cunha/PMPA
Óbito ocorreu no Grupo Hospitalar Conceição, onde a vítima trabalhava. (Foto: Reprodução)

Prestes a completar um mês desde que confirmou oficialmente o seu primeiro caso de infecção por coronavírus, o Rio Grande do Sul registrou nesta terça-feira (7) a sua nona morte causada pela doença. A vítima é uma mulher de 44 anos, residente em Alvorada (Região Metropolitana) e que trabalhava em Porto Alegre como técnica de enfermagem no GHC (Grupo Hospitalar Conceição), onde estava internada.

Segundo a SES (Secretaria Estadual da Saúde), ela apresentava histórico de doença respiratória e estava na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) desde a última quinta-feira. Este foi o primeiro óbito gaúcho de um profissional de saúde por causa da Covid-19. Trata-se, ainda, do paciente mais jovem a não resistir à doença no Estado, já que os oito anteriores tinham idades entre 59 e 92 anos.

Ao todo, já são pelo menos 555 diagnósticos positivos da doença em 71 municípios do Rio Grande do Sul – a estatística não exclui os casos de cura comprovada, ou seja, quando não há mais sintomas há pelo menos 14 dias.

Os testes positivos divulgados nesta terça-feira abrangem Porto Alegre (12), Harmonia (2), Lajeado (3), Novo Hamburgo (3), Passo Fundo (3), Bagé, Bento Gonçalves, Canoas, Caxias do Sul, Encantado, Farroupilha, Garibaldi, Gravataí, Paraí, Pareci Novo, São Leopoldo, Sapucaia do Sul, Tupandi e Viamão.

Óbitos anteriores

A oitava morte por causa da doença no Rio Grande do Sul havia sido confirmada na segunda-feira (6). Trata-se de uma idosa de 90 anos, em internação hospitalar desde o dia 28 de março e apresentava histórico de hipertensão e doença respiratória (asma).

Já o sétimo caso fatal foi informado no sábado, envolvendo uma mulher de 73 anos que estava internada desde o dia 31 de março em um hospital de Novo Hamburgo – não há informações sobre eventuais doenças pré-existentes ou histórico de viagem recente.

Os demais seis óbitos por Covid-19 no Estado abrangem outros dois pacientes também de Novo Hamburgo e quatro pacientes de Porto Alegre, em proporção equilibrada no que se refere ao gênero (quatro mulheres e três homens).

Na sexta-feira passada, a SES notificaram a morte de uma idosa de 92 anos, internada na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, desde que apresentara sintomas em 23 de março – o teste deu positivo no dia 24. Além da idade avançada, havia histórico de doenças cardiovascular e neurológica crônicas.

O único óbito de não idoso ocorreu com um homem de 59 anos, morador de Porto Alegre e sem histórico de outras doenças crônicas, falecido na noite de quarta-feira no Mãe de Deus. Ele havia ficado internado durante duas semanas. Antes, uma mulher 91 anos e um homem de 88 anos haviam falecido no Hospital Moinhos de Vento.

Já os outros dois indivíduos que morreram em Novo Hamburgo são uma idosa de 84 anos e um idoso de 60 anos – Luiz Alberto Anschau, sócio-proprietário da indústria de sucos Petry. Os dois tinham histórico de cardiopatia e outras doenças pré-existentes (no caso do empresário, houve também uma viagem recente aos Emirados Árabes (Oriente Médio).

Porto Alegre

Cidade mais populosa do Rio Grande do Sul, a Capital concentra 272 casos confirmados, o que representa praticamente metade das 555 ocorrências no ranking estadual. Em seguida aparecem Caxias do Sul (31), Bagé (27), Novo Hamburgo (23), Passo Fundo (14), Canoas (12), Gravataí (11), Bento Gonçalves (11), Lajeado (11), São Leopoldo (9), Torres (9) e Viamão (8).

Porto Alegre também lidera o ranking de óbitos por Covid-19, com seis pacientes, seguida por Novo Hamburgo, com três – levando-se em conta a instituição hospitalar onde ocorreu o falecimento e não o local do óbito (a técnica de enfermagem que morreu em Porto Alegre, por exemplo, residia em Alvorada).

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Em encontro com o governador gaúcho, líderes empresariais sugerem reabertura gradual das atividades no Estado
O governo federal reconheceu oficialmente o estado de calamidade pública em Porto Alegre, decretado por causa do coronavírus
Deixe seu comentário
Pode te interessar