Domingo, 29 de Março de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Fair

Mundo O número de infectados pelo novo coronavírus na China passou de 77 mil

Mais de 2,4 mil pessoas morreram no país asiático

Foto: Reprodução
Um turista chinês de 80 anos já tinha morrido no país por causa do vírus. (Foto: Reprodução)

O número de casos de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, subiu para 77.048 na China. Foram registradas 2.445 mortes.

No mundo, são 1.712 pacientes em 29 países que estão com o novo coronavírus, 460 a mais que no último levantamento, e 22 pessoas já morreram.A Itália é um dos países que mais está tendo casos nos últimos dias e decretou uma espécie de “toque de recolher”. Segundo a agência de notícias Reuters, já passam de 130 pessoas infectadas com Covid-19. Partidas do campeonato italiano foram adiadas por conta do problema.

A Turquia informou que vai fechar sua fronteira com o Irã como medida de precaução para impedir a possível propagação do coronavírus depois que o país vizinho notificar 43 casos da doença.

A Coreia do Sul, que vem registrando um significativo aumento de casos nos últimos dias, registrou a sexta morte causada pelo Covid-19. No país, já são mais de 500 pacientes infectados.

A epidemia do novo coronavírus é “a maior emergência de saúde” na China desde a fundação do regime comunista comunista em 1949, afirmou o presidente Xi Jinping neste domingo (23).

A epidemia de pneumonia viral, que provocou 2.445 mortes e infectou 77.041 pessoas na China, “tem a transmissão mais rápida, o maior variedade de infecção e tem sido a mais difícil de prevenir e controlar”, declarou Xi durante uma reunião sobre a crise.

O presidente afirmou ainda que a China deve aprender com as “deficiências” expostas na resposta ao vírus.

Xi Jinping vem enfrentando forte pressão pela condução do país no controle da doença. Na semana passada, a polícia chinesa prendeu o jurista Xu Zihyong, crítico do governo de Pequim que havia pedido recentemente a renúncia do presidente pela gestão da epidemia.

Investimento

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, disse neste sábado que a agência vai investir US$ 675 milhões em um plano de resposta à doença para apoiar os países, especialmente os mais vulneráveis.

Ele afirma que a OMS identificou 13 países prioritários na África por serem locais com alto número de voos diretos para a China.

Segundo Adhanom, a preocupação da organização no momento é o aumento no número de casos de Covid-19 sem relação epidemiológica clara, ou seja, sem que a pessoa infectada tenha viajado à China ou tido contato com alguém que esteve lá.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

O trabalho infantil aumenta quase 40% durante o carnaval no Brasil
Carnaval de rua reúne milhares de pessoas em Porto Alegre; confira a programação
Deixe seu comentário
Pode te interessar