Quarta-feira, 19 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Mostly Cloudy

Geral Facebook lança novo aplicativo de mensagens para Instagram

O Facebook lançou um aplicativo de mensagens por fotos para o Instagram chamado "Threads". (Foto: Reprodução)

O Facebook lançou nesta quinta-feira (3) um aplicativo de mensagens por fotos para o Instagram chamado “Threads”, intensificando a guerra da empresa contra o rival menor Snapchat.

O lançamento do aplicativo, que como o Snapchat e o Instagram é centrado em torno de fotos, mas também focado em manter os usuários conectados com pequenos grupos de amigos, derrubou as ações da Snap em cerca de 7,5% nesta sessão.

Por meio do Threads, usuários podem fazer upload de status, compartilhar localização e nível de bateria com seus melhores amigos do Instagram, disse a empresa de mídia social em um post.

O Facebook tem se concentrado no Instagram, seu gerador de receita que mais cresce, já que sua principal plataforma está sob escrutínio de órgãos reguladores em relação à privacidade e à disseminação de desinformação ou notícias falsas.

Os usuários também podem habilitar o recurso “status automático”, que atualizaria automaticamente o nível de bateria e o status com base na localização atual, disse a empresa, acrescentando que o recurso é opcional.

As informações de localização coletadas para a ferramenta de status automático serão específicas para o Threads e não serão usadas para anúncios, disse o Facebook.

União Europeia

O TJUE (Tribunal de Justiça da União Europeia) decidiu nesta quinta não se opor a que um Estado-membro obrigue a rede social Facebook a apagar comentários difamatórios, admitindo também que a medida “produza efeitos em escala mundial”.

O caso diz respeito a uma deputada austríaca que viu a sua imagem difamada numa publicação feita no Facebook e foi remetido ao TJUE pelo Oberster Gerichtshof (Supremo Tribunal da Áustria) em março de 2018.

Segundo a decisão publicada pelo TJUE, “o Direito da União não se opõe a que seja ordenado a um fornecedor de armazenamento como o Facebook que suprima comentários idênticos e, sob determinadas condições, semelhantes a um comentário anteriormente declarado ilegal”.

“O Direito da União também não se opõe a que essa medida inibitória produza efeitos em escala mundial, no âmbito do direito internacional relevante que cabe aos Estados-membros ter em conta”, segundo o acórdão, a que a agência de notícias Lusa teve acesso.

Eva Glawischnig-Piesczek foi deputada no parlamento austríaco entre 2008 e 2017 pelos Verdes (die Grünen) e, durante esse período, instaurou uma ação contra o Facebook Irlanda nos órgãos jurisdicionais austríacos pedindo que a plataforma apagasse uma publicação feita por um utilizador na sua página pessoal.

Nessa publicação, que é pública e ainda está disponível, o utilizador partilhou um resumo de um artigo publicado na revista austríaca online oe24TV, cujo título era “Os Verdes: a favor da manutenção de um rendimento mínimo para os refugiados”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Em visita à feira Mercopar, em Caxias do Sul, o governador gaúcho disse que o desenvolvimento do Estado depende de tecnologia e inovação
“Fábricas de bebês” na Nigéria engravidam mulheres sequestradas para vender filhos
Deixe seu comentário
Pode te interessar