Terça-feira, 28 de Janeiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
27°
Mostly Cloudy

Capa – Magazine “O Rei Leão” ultrapassa marca de um bilhão de dólares na bilheteria mundial

Comandada por Jon Favreau, releitura da animação de 1994 da Disney é o quinto maior lançamento do ano. (Foto: Divulgação)

Depois de Aladdin, chegou a vez do remake de O Rei Leão se juntar ao “clube do bilhão”. Na última terça-feira (30), o longa ultrapassou o faturamento de US$ 1 bilhão na bilheteria mundial, se tornando apenas o 6º filme em live action da empresa a ultrapassar a marca, e o 2º apenas neste ano.

Claro, essa contagem considera apenas os filmes da Disney, e ignora o de outros estúdios pertencentes à empresa, como a Lucasfilms (que produz a franquia Star Wars), a Marvel Studios e a recém adquirida Fox.

Assim, O Rei Leão se junta a Piratas do Caribe: O Baú da Morte, Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas, e os remakes em live action de A Bela e A Fera, Alice no País das Maravilhas e Aladdin.

Agora, ao considerar todos os estúdios que pertencem à Disney, o número de produções que ultrapassaram a marca de US$ 1 bilhão nas bilheterias é bem maior, e só este ano, além de O Rei Leão e Aladdin, a marca também foi ultrapassada por Vingadores: Ultimato e Homem-Aranha: Longe de Casa. Espera-se ainda que o mesmo deva acontecer novamente com o episódio IX de Star Wars, no final do ano.

Outra marco alcançado pelo filme foi superar as receitas obtidas pela animação original de 1994, que conseguiu uma arrecadação de US$ 968 milhões desde o lançamento, tornando oficialmente o remake mais rentável do que a obra original.

Com o sucesso de O Rei Leão e Aladdin, fica claro que a estratégia de refazer suas animações clássicas em formato de filmes tem dado certo para a Disney, que não deve abandonar ela tão cedo. Para os próximos anos já estão confirmados os remakes de Mulan, A Pequena Sereia, Branca de Neve e os Sete Anões e Peter Pan.

A releitura de O Rei Leão comandada por Jon Favreau já é o quinto maior lançamento mundial do ano. O filme arrecadou US$ 361 milhões nas bilheterias americanas e US$ 638 milhões fora dos EUA. Nos territórios estrangeiros, teve aberturas fortes na China, com US$ 115 milhões, e no Reino Unido, com US$ 48 milhões.

A Disney estabeleceu um recorde em 2016 com quatro filmes que arrecadaram mais de US$ 1 bilhão. Nos próximos meses, o estúdio lançará ainda Frozen 2, uma sequência de Malévola e Star Wars: Episódio IX – A Ascensão Skywalker. Isso significa que deve bater sua própria marca.

Nos EUA, a estreia foi impactante: nos três primeiros dias de lançamento, arrecadou US$ 185 milhões de 4.756 cinemas. O número representa a segunda melhor estreia americana do ano, atrás de “Vingadores: Ultimato”, da Disney e Marvel, com US$ 357 milhões. A cifra também marca a melhor estreia de uma refilmagem de desenhos originais da Disney.

No Brasil, o longa também estreou bem, com exibição em 1.877 salas do País e arrecadação de US$ 44 milhões. Foram vendidos na época cerca de 3,7 milhões de ingressos. Foi o filme mais assistido do período.

O Rei Leão faz parte de uma estratégia da Disney de refilmar seus clássicos animados e marca uma vitória para Favreau como diretor. Na versão em inglês, Donald Glover faz a voz de Simba e Beyoncé a de Nala. James Earl Jones reprisa seu papel como Mufasa.

A tecnologia usada no filme dividiu os críticos. Em grande parte, eles concordaram que a nova versão está visualmente impressionante e fez belas recriações de cenas da animação dos anos 1990. No entanto, houve divergências, com jornalistas dizendo que a refilmagem não transmitiu a atmosfera épica do original.

 

Voltar Todas de Capa – Magazine

Compartilhe esta notícia:

Atriz Juliana Paes diz que detestou botox: “Fiquei me sentindo paralisada”
“Norman Fucking Rockwell”: Lana Del Rey revela detalhes do novo álbum!
Deixe seu comentário
Pode te interessar