Domingo, 25 de julho de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Fog

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil O Ministério da Saúde teme o risco de confisco em outro país e a entrega de máscaras da China vai atrasar

Compartilhe esta notícia:

Previsão era receber 40 milhões nesta sexta, mas entrega ficará para a semana que vem. (Foto: Reprodução)

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, disse que uma entrega de cerca de 50 milhões de máscaras vinda da China, prevista para esta sexta-feira (10), vai atrasar. Ainda está sendo analisado em qual país o avião vai fazer escala, para não correr o risco de as máscaras serem retidas para serem usadas por lá.

Segundo ele, continua a previsão de trazer 40 milhões de máscaras por semana da China, totalizando 240 milhões, das quais 200 milhões cirúrgicas, e 40 milhões do tipo N95, que filtra partículas do ar.

“Não deve vir amanhã, na sexta-feira. A primeira remessa deve atrasar um pouco mais, por questões burocráticas, que estão sendo equacionadas com a embaixada na China. Tem o problema de onde o avião vai pousar na volta, porque a gente não quer  ver o avião pousar e correr o risco de retenção por parte desse país desses equipamentos de proteção. Isso ainda está sendo analisado. Não será na sexta-feira, deverá ocorrer na próxima semana. A tendência é que na próxima semana, vamos tentar fazer dois carregamentos de máscaras da China para o Brasil”, disse Gabbardo.

Gabbardo anunciou que vai fazer um cadastro de empresas que tenham máscaras e respiradores e que queiram vendê-los. Os preços serão analisados e, a partir disso, o ministério poderá adquiri-las diretamente.

Ele informou ainda que, até agora, 290 leitos de UTI, dos 2 mil prometidos pelo Ministério da Saúde, foram instalados. São 80 em São Paulo, 40 no Rio de Janeiro, 40 na Bahia, 30 em Minas Gerais, 30 no Rio Grande do Sul, 20 no Paraná, 20 no Pará, 10 em Santa Catarina, 10 em Pernambuco e 10 no Rio Grande do Norte.

Além disso, há mais 40 — 20 em Minas Gerais, 10 no Paraná e 10 em Santa Catarina — que foram entregues, mas não foram instalados por causa de algum problema no hospital, como falta de oxigênio ou de ar comprimido.

O ministério vem dizendo reiteradamente que os leitos serão entregues de acordo com a necessidade dos Estados. Assim, a grande maioria deverá ser distribuída conforme o avanço da epidemia. Segundo o último boletim do ministério, a Covid-19 já infectou 17.857 pessoas no País, matando 941.

Voos

Técnicos que participam da operação para trazer máscaras da China para o Brasil estimam que serão mobilizados, pelo menos, 40 voos para o transporte dos equipamentos. As máscaras devem ser usadas por profissionais de saúde no enfrentamento ao novo coronavírus.

Ao todo, 240 milhões de unidades serão distribuídas pelo Ministério da Saúde aos Estados, que farão o repasse aos municípios. O número de voos tem relação com a distância e o volume do material – a previsão é de que 960 toneladas de equipamentos de proteção individual sejam importadas.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Os automóveis Mercedes têm este nome em homenagem a uma menina
O governo federal planeja 40 voos para buscar máscaras na China
Deixe seu comentário
Pode te interessar