Segunda-feira, 03 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Porto Alegre Pesquisa avalia os hábitos dos porto-alegrenses durante a pandemia do coronavírus

Compartilhe esta notícia:

"Nossa angústia por referências na tomada de decisões é diária e permanente", disse Marchezan

Foto: Maria Ana Krack/PMPA
"Nossa angústia por referências na tomada de decisões é diária e permanente", disse Marchezan. (Foto: Divulgação)

A prefeitura de Porto Alegre divulgou, em transmissão on-line na manhã desta terça-feira (14), dados preliminares da primeira etapa da pesquisa Avaliação da Covid-19 na Comunidade de Porto Alegre (ACC-POA), realizada em parceria com a Ufrgs, a UFPel, a UFCSPA e o governo estadual.

O objetivo é comparar hábitos comportamentais, como a adesão ao isolamento social entre pessoas infectadas e não contaminadas e o uso de máscara, para ampliar a compreensão e criar evidências sobre fatores de risco de contaminação em Porto Alegre.

Na primeira fase, que deve ser concluída no início de agosto, serão consultados 450 porto-alegrenses que testaram positivo para a doença, formando o chamado grupo de casos, e uma amostra da população, incluída no estudo Epicovid-RS da UFPel, que compõe o chamado grupo controle (pessoas não infectadas pelo novo coronavírus).

Segundo o prefeito Nelson Marchezan Júnior, a pesquisa pode trazer mais respostas e gerar conhecimento em um momento em que o mundo todo busca evidências para correlacionar dados e criar alternativas de combate à pandemia.

“Nossa angústia por referências na tomada de decisões é diária e permanente. Tomamos decisões necessárias, desagradáveis e muito diferentes daquilo que projetávamos para uma cidade mais humana, evoluída e moderna. A pesquisa vai nos ajudar a pensar como enfrentar o crescimento de contaminação e o consequente avanço na ocupação de leitos de UTI em uma sociedade que já está um pouco saturada do isolamento”, declarou o prefeito.

Os dados preliminares apontam que, entre o grupo controle, o percentual autodeclarado de adesão ao distanciamento social é maior entre pessoas com mais de 60 anos, chegando a 90% na faixa etária dos 70 aos 79 anos.

Somente 60% dos jovens entre 18 e 29 anos, porém, afirmam estar seguindo as recomendações para restringir a circulação de pessoas na Capital.

Queda na taxa

Após registrar índices de 43,8%, 50%, 45,1%, 39,9%, 50,6% e 60,1% nos últimos dias, a taxa de isolamento social (permanência das pessoas em casa) voltou a cair nesta terça-feira (14) em Porto Alegre, ficando em 43,8%. Esse resultado está abaixo do mínimo ideal de 55% estipulado pela Secretaria Municipal da Saúde para conter a pandemia. Até março, a média na Capital gaúcha era de 28%.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Porto Alegre

Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul solicita a suspensão das eleições do sistema CONFEA/CREA
Prévia do PIB brasileiro indica alta de 1,3% na economia em maio após tombo de 9,4% em abril
Deixe seu comentário
Pode te interessar