Sábado, 16 de Janeiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
26°
Fair

Artes Visuais Pinacoteca Aldo Locatelli reabre com exposição em homenagem ao pintor Wilson Tibério

Compartilhe esta notícia:

Autorretrato de Tibério.

Foto: Reprodução/SMC/PMPA
Autorretrato de Tibério. (Foto: Reprodução/SMC/PMPA)

A Coordenação de Artes Plásticas da SMC (Secretaria Municipal da Cultura) inaugura na sexta- feira (20), a mostra Arte + Biografia – Tibério no Plural. A exposição marca o retorno das atividades da Pinacoteca Aldo Locatelli (Praça Montevidéu, 10 – Paço dos Açorianos, Centro Histórico) e estará aberta de segunda a sexta-feira, das 13h30 às 17h, até 26 de fevereiro de 2021. Também poderá ser conferida virtualmente através do Facebook da CAP.

Alguns nomes fundamentais para compreensão da história da arte moderna ainda permanecem completamente desconhecidos do grande público. É o caso de Wilson Tibério (1916-2005), pintor negro de origem humilde que desenvolveu uma trajetória com marcantes passagens pelo Rio de Janeiro, Paris e por diversos países do continente africano. Na mostra Arte + Biografia – Tibério no Plural serão trabalhados alguns aspectos da vida do artista, contextualizados com obras de outros artistas pertencentes aos acervos da Pinacoteca Aldo Locatelli e da Pinacoteca Ruben Berta. Esta escolha decorreu da pouca presença de trabalhos de Wilson Tibério em Porto Alegre. Até o momento, foram localizados um autorretrato na Pinacoteca Barão de Santo Ângelo, uma cena de interior na Pinacoteca Aldo Locatelli e uma aquarela em coleção particular.

Participam ainda da mostra os artistas contemporâneos Leandro Machado e Gustavo Assarian, cujas recentes produções demonstram uma série de continuidades e aprofundamentos das temáticas abordadas de forma pioneira por Wilson Tibério desde 1940.

Wilson Tibério nasceu em Porto Alegre em 1916. Filho de um ferreiro e uma costureira, morreu em Paris em 2005. Com cerca de dezoito anos, havia partido para o Rio de Janeiro, onde frequentou a Escola Nacional de Belas Artes. Acabou saindo do Brasil em 1940, como bolsista do governo francês, logo ensejando uma carreira permeada por lances extraordinários como viagens à África que lhe valeram sucessivas expulsões por suas simpatias revolucionárias e pelo engajamento nos movimentos anticoloniais da década de 1960. Sempre preocupado com questões sociais e tomado pela ânsia em registrar a cultura e a identidade negra, viveu profissionalmente como pintor e escultor, expondo em mostras como a que ocorreu na Galerie Henri Tronchet em 1951, juntamente com Picasso, ou ainda a que aconteceu na Galerie Cecile B. (entre 1998 e 1999).

Modalidades de visitação

É possível visitar por agendamento, através do e-mail acervo@portoalegre.rs.gov.br ou pelo telefone (51) 3289-3735. Os grupos devem ser de até cinco pessoas – para a reserva ser confirmada será necessário o fornecimento dos nomes completos e respectivos contatos telefônicos.

Sem agendamento deverá ser respeitada a capacidade máxima de cinco pessoas por horário. Havendo reserva prévia por outro grupo, será necessária a espera.

Protocolos Sanitários

O visitante deverá se apresentar na recepção do Paço dos Açorianos, com documento de identidade onde também será verificada sua temperatura com termômetro eletrônico infravermelho.

Não será permitido o acesso de visitantes com temperatura acima de 37,5° ou sintomas de gripe/resfriado.

O uso correto de máscaras de proteção facial, cobrindo boca e nariz, para o ingresso e permanência no Paço será obrigatório (inclusive no momento das fotos e selfies).

O distanciamento mínimo recomendado entre as pessoas será de dois metros e o tempo máximo de visitação será de 1h30.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Artes Visuais

Começa nesta terça-feira, em Caxias do Sul, a 29ª Feira Mercopar de Inovação Industrial
Presidente da Câmara dos Deputados espera maior diálogo e equilíbrio após eleições
Deixe seu comentário
Pode te interessar