Terça-feira, 19 de outubro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil Polícia investiga uma página no Facebook que aplica golpe ao prometer aborto

Compartilhe esta notícia:

Empresa tinha página no Facebook (Foto: Reprodução/Facebook)

No Rio de Janeiro, agentes da 10ª DP, em Botafogo, investigam um novo golpe nas redes sociais. Trata-se de uma página no Facebook cujos administradores cobram R$ 1,3 mil com a promessa de agendar abortos em consultórios do Rio. Na ação, os criminosos se aproveitam de nomes e endereços existentes de médicos, que descobrem estar no meio da história apenas na data e na hora supostamente marcadas. Ao chegarem no consultório, os clientes constatam que foram enganados pela página “Clinica Aborto Seguro”.

A Polícia Civil confirmou nesta segunda-feira que o delegado Tarcísio Jansen conduz a investigação. Um dos médicos que teve o nome indicado no esquema explicou que registrou ocorrência na 10ª DP e no Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio). O primeiro caso ocorreu em janeiro de 2017. Ele recebeu um casal que alegava ter agendado uma consulta com ele por e-mail depois de contatar a página.

Após o pagamento do boleto de R$ 1.310, os dois, que desejavam abortar, foram informados que o médico tinha convênio com a página e que os atenderia em 11 de janeiro. O valor pago cobriria os custos da consulta e do procedimento de aborto, que seria realizado durante o mesmo atendimento. Mas o profissional não tinha esse registro na agenda nem oferecia o serviço.

De lá para cá, contou o médico, mesmo depois de registrar queixa na polícia, recebeu outras duas pacientes com relatos semelhantes. A página entrou no Facebook em 1º de setembro de 2012 e costuma compartilhar conteúdo em defesa do direito de interromper a gravidez. “Clinica aborto legal e seguro. Contra criminalização, a favor dos direito feminimos sobre seu corpo”, explicam os administradores na autodescrição da plataforma.

Em sua página na internet, o Cremerj alertou a população e os médicos sobre o golpe. O conselho recebeu denúncias de profissionais sobre a página falsa no Facebook. “O administrador tem usado, fraudulentamente, informações de uma fundação internacional e aplicado golpes na população. A página ainda tem usado de forma inapropriada e falsa nomes de médicos”, explicou em nota. A entidade, que ressaltou estar “acompanhando o caso criminoso”, pede que os colegas mencionados ou avisados reportem a ocorrência.

O médico também alertou para a necessidade de denunciar o grupo criminoso, já que as pacientes enganadas não costumam registrar queixa por aborto ser crime. Com isso, ele complementa, cada vez mais outras angustiadas caem no golpe. (AG)

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Estado quita folha de março dos servidores do Executivo nesta segunda-feira
Eduardo Gianetti fala sobre democracia e mercado na abertura do Fórum da Liberdade
Deixe seu comentário
Pode te interessar