Segunda-feira, 06 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Cloudy

Acontece Presidente do Banrisul anuncia a concessão de R$ 5,6 bilhões em crédito para pessoas físicas e micro e pequenas empresas

Compartilhe esta notícia:

Neste momento de pandemia do novo coronavírus, o atendimento presencial ao agronegócio está sendo agendado pelo aplicativo Banrisul Digital ou no site. (Foto: Reprodução/Banrisul)

O presidente do Banrisul, Cláudio Coutinho, participou da reunião virtual da Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, que teve como tema “O papel do Banrisul como Banco Público na oferta de crédito para empréstimos consignados a servidores e trabalhadores públicos, microempreendedores individuais e microempresários no enfrentamento da crise da Pandemia da COVID-19”.

O encontro, que aconteceu nesta última quinta-feira (04), foi transmitido ao vivo pelo canal da Assembleia no YouTube. Na reunião, Coutinho anunciou que o Banrisul, entre 16 de março e 27 de maio, já disponibilizou R$ 5,6 bilhões em novas contratações de operações de crédito que beneficiaram, especialmente, pessoas físicas, micro e pequenas empresas.

A reunião foi proposta pelo deputado Pepe Vargas, que solicitou ao Banco informações sobre o acesso ao crédito nesse período difícil que a economia, atualmente, tem passado. A conferência contou, ainda, com a presença de deputados, representantes de entidades sindicais e de classe; e foi mediada pelo presidente da Comissão, o deputado Jeferson Fernandes.

Após ouvir todas as manifestações, o presidente Cláudio Coutinho iniciou sua explanação apresentando todas as medidas que o Banrisul tem tomado nesse momento de adversidade, citando exemplos como a redução da movimentação das agências, que estão operando com atendimento agendado para evitar aglomeração, o amplo direcionamento de funcionários para cumprirem suas atividades em home office e a contratação da assessoria técnica do Hospital Moinhos de Vento para garantir a segurança de trabalho dos colaboradores e minimizar os riscos de contaminação nas dependências da instituição.

O dirigente revelou que, desde o início da contingência, em meados de março, a diretoria fortaleceu o diálogo com os superintendentes regionais, recebendo informações diárias sobre a atuação das agências em todo o Estado, bem como as demandas dos clientes. “Sempre tivemos a preocupação de manter o funcionamento do Banrisul, pois temos consciência da responsabilidade e missão que a instituição tem em apoiar a sociedade gaúcha”, enfatizou.

Sobre a atuação do Banco na contribuição da atividade econômica do Rio Grande do Sul, Coutinho apresentou aos participantes todas as iniciativas que a instituição passou a oferecer para gerar fluxo de caixa aos clientes pessoa física e às micro e pequenas empresas. O dirigente citou a ampliação do limite de crédito, a oferta de financiamento de folhas de pagamento e as diversas opções de prorrogação de dívidas de operações de crédito pessoal, crédito rural, financiamento imobiliário, crédito de desenvolvimento e, principalmente, de crédito consignado municipal e estadual – uma das principais pautas da reunião. Também destacou que o Banrisul tomou a decisão de não negativar clientes nem protestar títulos nesse período. “Compreendemos que o momento é grave, somos sensíveis às solicitações e estamos atuando vigorosamente para auxiliar nossos clientes da melhor forma possível”, acentuou.

Cláudio Coutinho salientou, ainda, que todas essas novas modalidades de crédito e alterações de processos são resultado de um trabalho intenso das equipes de diversas áreas técnicas do Banrisul, como tecnologia da informação, crédito e comercial, que estão trabalhando incansavelmente na busca de melhores soluções às demandas dos clientes.

Muitas das manifestações questionaram Coutinho sobre a possibilidade do Banco zerar os juros de crédito dos clientes ou de alterar o formato das prorrogações de crédito oferecidas atualmente. O executivo frisou, porém, que o Banrisul é uma instituição de capital aberto, independente, e que não pode ser utilizado para compensar questões de ordem governamental. “O Banco é parte da solução para minimizar os impactos desse período de crise econômica, mas não pode fazer transferência de renda. Temos que seguir regulamentos de governança e regras de órgãos normativos para manter o Banrisul saudável a longo prazo”, assinalou.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Acontece

Voluntariado e cidadania são temas de Live do Sesc Comunidade com o Observatório Social do Brasil
FCDL-RS considera positiva a volta do funcionamento de provadores em lojas de rua
Deixe seu comentário
Pode te interessar