Terça-feira, 13 de Abril de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Mostly Cloudy

Lenio Streck Profecias para 2021: o ano em que tudo será startup. Com coach!

Compartilhe esta notícia:

Há fortes elementos indicando que 2021 será pior que uma ressaca de Velho Barreiro, cuja garrafa, antigamente, era coisa fina.

Há fortes elementos indicando que 2021 será pior que uma ressaca de Velho Barreiro, cuja garrafa, antigamente, era coisa fina.

Pego carona no colunista Renato Terra da Folha. Genial a coluna do dia 25 de dezembro. Adapto e acrescento.

Há fortes elementos indicando que 2021 será pior que uma ressaca de Velho Barreiro, cuja garrafa, antigamente, era coisa fina. Já não é. Surgiram centenas de cachaças melhores.

Se conseguirmos vacinar toda a população, teremos que aturar o que durante a pandemia estava “meio” escondido: alguns gaiatos de patinete elétrico, muita bicicleta (durante a pandemia andavam sem máscara, para ver se contaminavam o máximo de pessoas) na rua, com aquele olhar de censura para quem está de carro, tal qual um vegano olha para um carnívoro como eu: “você está poluindo e destruindo o mundo”. Pode ser. Mas não me altere o samba tanto assim.

Outro vaticínio (ou seria vacinotinio?) que faço meio a meio com Renato: Haverá startups com profissões novas, como sommelier de vacinas. Como um Ed Mota com fumos científicos, o sommelier de vacinas desenvolverá a aptidão para perceber nuances que trazem notas de Coronavac, aromas oriundos de tonéis de Pfizer enriquecidos em gelo seco, infusões cítricas maceradas pela Fiocruz. Boa essa, não? Haverá – e esse é meu “vacinotínio” – o lançamento, on line, da profissão de “design de lives”. Na área jurídica, surgirá o “legal design de sustentações orais gravadas”, com fundo musical e cenas dramáticas passando ao fundo do cenário.

Surgirá também o personal training especializado em tirar os quilos pandêmicos (como os meus). Algumas Igrejas venderão “a rosa ungida cujo perfume faz você perder os seus quilos a mais”. Claro: tem de comprar dúzias e dúzias de rosas. Em nome de o Senhor Jesus. Tem de dizer “em nome de o”. E se não der certo, o pastor dirá que você é uma pessoa de pouco olfato. Ou de pouca fé.

Surgirá também o coach dos coachs que, durante a pandemia, tentaram ser coach. E deu errado porque, do mesmo modo como tinha lives e webinares assistidas por apenas cinco pessoas, tinha coach em excesso. Haverá também uma startup para implementar novas teorias de conspiração. E um curso para coach de conspiradores. E cursos, via aplicativo, de “como ser um negacionista e não perder a discussão”!

E as redes sociais em 2021? Crescerão. Haverá um novo tipo de whatsapp (neocavernas): será lançado o whatsapp pré-gravado. Já que ninguém mais fala ao celular e só manda gravações, haverá falas pré-gravadas por um robô. Basta clicar: “ – quero dizer que…” e o robô organiza tudo para o utente.

Ou seja, as redes sociais, em 2021, terão um incremento, mesmo com o fim do isolamento. O incremento das – e nas – redes decorrerá da necessidade de as pessoas contarem o que viram lá fora. Ou seja, o “movimento” nas redes dobrará, o que fará com que a Sky se una a Net, formando, finalmente, a SKYNET (e ninguém atenderá o telefone, por óbvio!), cumprindo a profecia do filme “O Exterminador do Futuro”. O terreno é propicio para a tomada do poder pelos algoritmos e pelos negacionistas. Claro, tudo será on line. Ah: estagiários na área jurídica organizarão grandes protestos contra os algoritmos e robôs.

O governo em 2021 começará a transformação em uma grande startup. O Presidente será um coach. O parlamento será por aplicativo. O judiciário, por webinar. Claro: haverá coach para isso. Haverá concurso público para a carreira de coach. E muitas bicicletas nas ruas. Os prédios dos fóruns serão alugados. Os estacionamentos dos juízes e promotores serão vendidos por falta de uso. Tudo será por aplicativo. Inclusive esta coluna. Clico e, bingo, lá vai.

Na verdade, não tenho certeza se escrevi “isso daí acima” ou se foi um robô.

Feliz Natal com efeito ex tunc (isso o robô não sabe o que é). Ou seja, Feliz Natal com efeito retroativo. Pelos meus cálculos, a próxima coluna será já em 2021. Portanto, Feliz 2021. Aqui o efeito é ex nunc. Para a frente!!!!!!!

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Lenio Streck

Eu, meus galos índio e as vacinas! Uma aporia?
O Rio Grande e seu falso isentismo… no futebol!
Deixe seu comentário
Pode te interessar