Terça-feira, 19 de outubro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Geral Rituais com sexo e idas a casas de swing: Relembre os detalhes da vida da deputada Flordelis revelados por testemunhas

Compartilhe esta notícia:

Flordelis ao lado do pastor Anderson do Carmo. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

As investigações sobre o assassinato do pastor Anderson do Carmo acabaram revelando uma face oculta da família da deputada federal Flordelis dos Santos de Souza. Os relatos de testemunhas do caso são da existência de rituais com sexo na residência da parlamentar, idas a uma casa de swing, relacionamentos entre membros da família e até traição. Um homem ainda relatou que a pastora atraía fieis da igreja para transar com eles.

Uma testemunha que morou na casa durante cinco anos, no fim dos anos 90, afirmou considerar que participava de uma verdadeira seita e revelou que chegou a manter relações sexuais com Flordelis.

A testemunha contou aos investigadores da Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo que ao chegar na casa teve que fazer um “ritual de purificação”, sendo obrigado a ficar isolado em um quarto durante sete dias. Nesse período, tinha que vestir roupas brancas e alimentava-se apenas de arroz e legumes. Ele relatou que no período ficava com uma bíblia, rezando, e recebia visitas de algumas pessoas da casa, consideradas por ele um grupo mais seleto, que participava de rituais secretos.

O homem contou que em determinado dia, dentro do período de isolamento, Flordelis foi sozinha ao quarto onde ele estava e eles fizeram sexo. Segundo o homem, depois daquele dia, ele e a deputada transaram outras vezes. “O declarante se recorda que aquilo lhe causou um efeito como se fosse mágico, pois considerava que havia tido relações praticamente com um ser divino, pois era assim que Flordelis se apresentava”, diz trecho do depoimento.

O homem ainda revelou à polícia que em certa ocasião, quando a família se mudou para uma casa em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, teve autorização para participar de um ritual no qual antes sua participação era vetada. Segundo ele, na ocasião o pastor Anderson fico pelado, no centro de um círculo feito a giz. Flordelis então iniciou uma espécie de reza ou mantra, no qual oferecia Anderson como oferenda.

A testemunha que narrou os rituais secretos à DH ainda fez sérias acusações contra Anderson e Flordelis. O homem contou que após uma adolescente ter recém-chegado na casa da pastora, Anderson pediu a Flordelis autorização para se relacionar sexualmente com a jovem. “Diz que Flordelis autorizou e de fato ocorreu por vezes. No entanto, a jovem não gostava dessa situação, mas obedecia o que era determinado por Flordelis”, diz trecho do depoimento. O homem ainda relatou que Flordelis recebia pastores estrangeiros em sua casa e uma das filhas era oferecida sexualmente para eles.

Já outra testemunha, que frequentou uma das igrejas de Flordelis, contou aos investigadores da DH ter ficado sabendo que Flordelis e Anderson, além de dois filhos do casal, frequentavam uma casa de swing na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A fiel afirmou que soube da informação em 2007, ao levar sua supervisora a um culto no Ministério Flordelis. Ela relatou à polícia que ao ver a deputada e pastora, sua amiga ficou surpresa e comentou que Flordelis frequentava a mesma casa de swing que ela.

A supervisora da fiel afirmou que além de Flordelis e Anderson, Simone, filha biológica da deputada, e o marido dela, André, também frequentavam o local. Ainda segundo a mulher, Flordelis possuía um quarto privativo na casa de swing. A mulher chegou a descrever a roupa usada por Flordelis na ocasião em que a viu na casa de swing e afirmou que ela estava extremamente bêbada.

Outro homem que frequentava a igreja de Flordelis e a casa da família fez outras revelações surpreendentes. A testemunha de 48 anos contou aos investigadores que era “obreiro” da igreja na época em que ela funcionava no bairro do Rocha, na Zona Norte, e também frequentava a casa de Flordelis. Segundo o depoimento, depois de um tempo convivendo com a família, ele passou a perceber o que chamou de atividade incomum, “na qual pessoas que frequentavam os cultos eram atraídas para a casa” para se relacionar sexualmente com a pastora e deputada. Na época, Flordelis e o pastor Anderson já eram casados.

Os depoimentos dados à polícia no inquérito que investiga a morte do pastor Anderson ainda expuseram episódios de traições, relacionamentos amorosos entre irmãos e até mesmo troca de casais dentro da família. As informações são do jornal Extra.

 

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Praias em Florianópolis ficam cheias, mesmo com as restrições por causa do coronavírus
O governo argentino dá aumento a policiais após amotinamento, mas abre disputa política com a oposição
Deixe seu comentário
Pode te interessar