Segunda-feira, 08 de Março de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Partly Cloudy

Rio Grande do Sul Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul orienta suspender cirurgias eletivas até 31 de março

Compartilhe esta notícia:

Orientação vale para hospitais de todo o Estado

Foto: Divulgação/Governo RS
Orientação vale para hospitais de todo o Estado. (Foto: Divulgação / Governo RS)

O aumento no número de internações pelo coronavírus fez com que a SES (Secretaria da Saúde), por meio do Centro de Operação de Emergência Covid-19, publicasse um comunicado orientando que os hospitais de todo o Estado suspendam as cirurgias eletivas não emergenciais até 31 de março.

Até lá, a recomendação é que a força de trabalho da equipe técnica, a área física e os equipamentos hospitalares sejam disponibilizados na integralidade para atendimentos a pacientes suspeitos ou confirmados de Covid-19.

Segundo a diretora do Departamento de Gestão da Atenção Especializada, Lisiane Wasem Fagundes, neste momento é preciso concentrar os esforços nos atendimentos aos pacientes Covid-19, tendo em vista o crescimento acelerado no número de internações.

Dados desta segunda-feira (22) de manhã indicam uma lotação de 85% dos leitos de UTI Adulto no Estado, com 1.089 pacientes confirmados no setor e outros 217 com a suspeita ou outro agravo respiratório, além de 985 por outras causas. Outras 2,6 mil pessoas seguem internadas por Covid-19 (confirmada ou suspeita) ou outros problemas respiratórios fora de UTI.

Entende-se por cirurgia eletiva todos os procedimentos possíveis de postergação de agendamento e que não tenham forte possibilidade de causar agravamento da enfermidade a curto prazo em termos de risco de vida e perda de função ou órgãos, que tenham possibilidade de agendamento prévio e que não constituem urgência ou emergência ou que não sejam decorrentes de atendimento a pacientes pós Covid-19.

A medida fica sujeita a alteração, podendo as cirurgias eletivas serem retomadas a qualquer momento, a partir da reavaliação dos casos suspeitos e confirmados pelo coronavírus.

São considerados inadiáveis os seguintes procedimentos:

– Atendimentos às gestantes bem como aos recém-nascidos e puérperas
– Acompanhamentos pós-cirúrgicos para todos os tipos de cirurgias já realizadas (mesmo as eletivas)
– Atendimentos na especialidade de oncologia, cardiologia e neurologia contemplando toda a linha de cuidado (da 1ª consulta até a alta do paciente)
– Atendimentos pediátricos
– Atendimentos de trauma.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Vice-presidente Hamilton Mourão diz que a troca na Petrobras é “questão de confiança” e que mercado age como “rebanho”
Bolsonaro diz exigir “transparência e previsibilidade” da Petrobras
Deixe seu comentário
Pode te interessar