Quinta-feira, 02 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Mostly Cloudy

Capa – Caderno 1 Só há 3 modos de uma pessoa inteligente quebrar: bebida, mulheres e alavancagem financeira, disse Warren Buffett

Warren Buffett é um dos homens mais ricos do mundo. (Foto: Reprodução)

O bilionário americano Warren Buffett, um dos três homens mais ricos do mundo, encontrou uma forma bem-humorada para criticar o excesso de endividamento de investidores. Em entrevista à rede americana CNBC divulgada na segunda-feira (26), ele citou uma frase do seu sócio, Charlie Munger:

“Meu sócio Charlie sempre diz que há apenas 3 modos de uma pessoa inteligente quebrar: bebida, mulheres e alavancagem financeira”, afirmou Buffett. “Agora nós sabemos que as duas primeiras ele só adicionou porque elas começam com ‘L'”, completou, em referências às palavras em inglês – “liquor”, “ladies” e “leverage”.

A alavancagem financeira é um conceito econômico que mede o grau de endividamento da empresa ou uma gestora de recursos em relação a suas receitas ou ativos.

Na entrevista, Buffett criticou novamente investidores que pegam empréstimos para comprar ações. No fim de semana, na carta anual da Berkshire Hathaway, holding que reúne seus investimentos, o bilionário explicou os perigos da estratégia.

Ele mostrou que a companhia teve perdas financeiras diversas vezes no curto prazo com desvalorização de ações.

“Nunca se sabe quanto uma ação pode cair no curto prazo. (…) Mesmo que você pegue uma quantia pequena emprestado e suas posições não sejam ameaçadas pelo mergulho do mercado, sua mente vai ficar embaralhada com as manchetes assustadoras e os comentários ameaçadores. E uma mente instável não vai tomar boas decisões”, afirmou na sua carta anual.

Buffett é dono de uma fortuna estimada em quase US$ 90 bilhões. Sua empresa é dona de participações em grandes companhias como Apple, Coca-Cola e Goldman Sachs.

Ganhos com reforma de Trump

A Berkshire Hathaway, holding do bilionário americano Warren Buffett, recebeu um cheque de US$ 29 bilhões do governo americano, graças à reforma fiscal aprovada pelo governo Donald Trump, que reduziu consideravelmente os impostos das empresas.

Buffett é o segundo homem mais rico do mundo no ranking 2017 da revista Forbes, atrás apenas de Bill Gates. No monitoramento em tempo real, ele está em terceiro da lista, sendo superado também por Jeff Bezos, da Amazon.

Em sua aguardada carta aos acionistas, Buffett explica que lucro líquido das participações da holding chegou a US$ 65,3 bilhões em 2017.

“Grande parte do ganho não veio de nada que conquistamos na Berkshire,” explicou Buffett, um dos investidores mais admirados do mundo.

“Apenas US$ 36 bilhões procedem das operações da Berkshire. Os demais US$ 29 bilhões foram entregues em dezembro quando o Congresso reescreveu o código fiscal”.

A reforma reduziu a taxa de impostos das empresas americanas de 35% para 21%, o que fez com que muitas companhias alterassem sua contabilidade, mudanças que para algumas representaram custos adicionais e para outras, como a Berkshire Hathaway, enormes ganhos fiscais.

Dono de empresas

A Berkshire Hathaway possui participações acionárias em várias grandes empresas de diversos setores da economia americana, como American Express, Apple, Bank of America, Charter Communications, Coca-Cola, Delta Air Lines, General Motors, Goldman Sachs, Moody’s, Wells Fargo e Southwest Airlines.

O lucro líquido da holding passou de US$ 24,07 bilhões em 2016 a US$ 44,94 bilhões em 31 de dezembro de 2017.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Caderno 1

Temperaturas abaixo de zero e neve paralisam a Europa e matam 2 pessoas na Romênia
O “Japonês da Federal” ainda curte a fama, mas descarta entrar na política
Deixe seu comentário
Pode te interessar