Sábado, 18 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Mist

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Saúde Veja mitos e verdades sobre probióticos

Compartilhe esta notícia:

Probióticos podem ser consumidos em qualquer idade. (Foto: Reprodução)

Os probióticos são frequentemente associados a melhorias dos quadros de diarreia e infecção intestinal. Mas será que isso é verdade ou é mito? Além disso, você sabe quem são as pessoas que podem usar probióticos e se eles, de fato, podem ajudar a emagrecer?

A seguir, confira o que o gastroenterologista Reinaldo Falluh Filho, do Hospital Brasília (DASA), esclareceu sobre o assunto e veja o que é verdade e o que é mito sobre o uso de probióticos e como essas “bactérias do bem” atuam em nosso organismo.

1 – Os probióticos regulam a flora intestinal?

Verdade. A flora intestinal, também chamada de microbiota intestinal, influencia diretamente em uma série de reações bioquímicas do corpo. Quando ela está em equilíbrio, impede que microrganismos potencialmente patogênicos provoquem danos ao organismo. Por outro lado, quando está em desequilíbrio, pode resultar na proliferação desses agentes causadores de doenças.

Os probióticos carregam a função de corrigir o desequilíbrio da microbiota (ou “regular” a flora intestinal) através de efeitos nutricionais, fisiológicos e antimicrobianos. Assim, existem quatro mecanismos principais nesta ação de regulação:

— Supressão do crescimento ou invasão do epitélio intestinal (camada interna que reveste o intestino) por bactérias patogênicas

— Melhora da função intestinal de barreira

— Modulação do sistema imunológico

— Modulação da percepção da dor.

2 – Os probióticos podem deixar o intestino “solto”?

Mito. Faltam evidências para apoiar o uso de probióticos únicos ou combinados em crianças ou adultos com constipação funcional (intestino preso). Estudos pequenos, randomizados e controlados por placebo em pacientes com constipação crônica – sem síndrome do intestino irritável e em indivíduos normais com tendência a intestino preso – sugerem melhora na frequência de defecação, consistência das fezes e tempo de trânsito intestinal. Entretanto, esses resultados com probióticos no tratamento da constipação grave devem ser interpretados com cautela.

3 – Os probióticos podem provocar gases?

Verdade. Gases são sintomas de diversas patologias do trato gastrointestinal, como intolerâncias e alergias alimentares, síndrome do intestino irritável e supercrescimento bacteriano. De maneira geral, os probióticos tendem a melhorar a produção de gases pelo corpo. Porém, o uso de cepas de probióticos inadequadas para algumas dessas condições pode contribuir ainda mais para o aumento dos gases.

4 – Os probióticos são bons para a diarreia?

Verdade. Estudos relataram uma menor duração da diarreia e redução da frequência das evacuações em pessoas que receberam probióticos. Vale destacar que a maioria dos episódios de infecção intestinal com diarreia tem como preocupação os casos de desidratação, e a administração de fluidos de reidratação não reduz o volume das fezes ou a duração do episódio de diarreia.

5 – Os probióticos são benéficos durante uma infecção intestinal?

Verdade. Os probióticos têm se mostrado efetivos em condições gastrointestinais, como diarreia infecciosa aguda, doenças inflamatórias intestinais e síndrome do intestino irritável (SII). Existem ainda benefícios terapêuticos, em adultos e crianças, em uma ampla gama de condições de saúde, como doenças autoimunes, distúrbios emocionais – como ansiedade e depressão – e até mesmo como parte de uma estratégia potencial no tratamento da obesidade.

6 – Os probióticos podem ajudar a emagrecer?

Verdade. Isso, porém, é válido em casos de obesidade. Os probióticos podem ajudar a remodelar o perfil metabólico no paciente obeso e serem mais um instrumento no arsenal terapêutico da obesidade e da resistência à insulina.

7 – Probióticos podem ser consumidos em qualquer idade?

Verdade. Foram realizados estudos com probióticos envolvendo diferentes faixas etárias da população, incluindo recém nascidos, bebês prematuros, crianças, adultos e idoso (inclusive pacientes hospitalizados), e foram demonstrados ausência de efeitos colaterais e tiveram segurança comprovada.

8 – Grávidas podem tomar probióticos?

Verdade. Assim como não há restrição de idade, também não existe contraindicação para mulheres grávidas. O cuidado maior deve ser apenas em pacientes considerados muito graves (instáveis e com sistema imunológico comprometido), durante internações hospitalares.

9 – Podemos tomar os probióticos todos os dias?

Verdade e Mito. Afinal, ainda não há uma resposta certa. O que se sabe até o momento é que o uso de probióticos deve ser orientado de modo individualizado para cada situação clínica – evitando o uso indiscriminado ou contínuo.

10 – Probióticos e antibióticos podem ser usados juntos?

Verdade. O uso de antibióticos implica, no curto e longo prazo, na alteração da microbiota intestinal. Sabemos que o uso de probióticos é muito eficaz na prevenção e tratamento de algumas condições relacionadas ao uso de antibióticos como a diarreia por Clostridium.

11 – O número de cepas interfere na qualidade do probiótico?

erdade. A dose eficaz de cada probiótico depende da espécie e cepa utilizados, assim como o agente patógeno ou doença alvo.

tags: Você Viu?

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Perigo no mar: entenda por que ataques de tubarão são comuns no Grande Recife
Facebook e gigantes da tecnologia miram contra supremacistas brancos e milícias
Deixe seu comentário
Pode te interessar