Quarta-feira, 27 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Fair

Geral Venda de imóveis no País caiu 15% em 2015

Compartilhe esta notícia:

No financiamento de imóveis usados, o percentual máximo do financiamento foi reduzido para 70% ou 60%, dependendo da linha. (Foto: Banco de Dados)

Os lançamentos de imóveis no País recuaram 19,3% em 2015 sobre 2014. Foram postos à venda 60,2 mil unidades, segundo a Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) e a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas). Só no quarto trimestre de 2015, a queda foi de 29,6%, correspondente a 17,7 mil unidades.

Os imóveis negociados no trimestre encerrado em dezembro globalizaram 25,6 mil, um recuo de 19,8% sobre 2014. No ano, as vendas do setor foram de 108,9 mil unidades, queda de 15,1% frente a 2015. A Abrainc e a Fipe apontaram também que o mercado negociou no ano passado um volume 82% superior aos lançamentos.

As duas informaram a entrega de 31,2 mil imóveis de outubro a dezembro, redução de 39,2% na relação anual. Em 2016, as entregas totalizaram 126,8 mil unidades, número 25,3% inferior ao observado em 2014.

Em oferta final, o mercado disponibilizava 109,3 mil unidades para compra no fim de dezembro. No trimestre, foi negociado o equivalente a 20,8% da oferta do período, queda de 1,2 ponto percentual diante do visto no trimestre terminado em setembro. Comparada à mesma época de 2014, a diminuição foi de 3,4 pontos percentuais. Ao ritmo do trimestre fechado em dezembro, seriam necessários 14,4 meses para vender toda a oferta atual.

O cancelamento de imóveis vendidos, conhecido por distrato, subiu 20,2% no quarto trimestre de 2015 sobre 2014, para 12,8 mil unidades. A Abrainc e a Fipe informaram que a proporção distratada caiu de 2,4% no fim de 2014 para 0,1% entre imóveis vendidos em igual época de 2015. (AE)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Por causa do zika vírus o governo federal estuda reduzir imposto dos repelentes
Banco Central diz que a economia piorou, mas mesmo assim não há espaço para cortar juros no Brasil
Deixe seu comentário
Pode te interessar