Domingo, 05 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Fog

Bem-Estar Venda de oxímetros explode por conta da Covid-19

Compartilhe esta notícia:

O aparelho é similar a um prendedor que, colocado no dedo, indica a porcentagem de oxigênio no momento da medição

Foto: Divulgação
O aparelho é similar a um prendedor que, colocado no dedo, indica a porcentagem de oxigênio no momento da medição. (Foto: Divulgação)

A pandemia de Covid-19 fez com que a população buscasse produtos que até então não eram muito populares. Primeiro, foram as máscaras e o álcool em gel. Agora, o produto que está com os estoques esgotados é o oxímetro, pequeno aparelho que permite medir a oxigenação do sangue em casa.

O aparelho é similar a um prendedor que, colocado no dedo, indica a porcentagem de oxigênio no momento da medição. Seu funcionamento se dá com uma luz infravermelha, que penetra os tecidos e analisa as hemoglobinas.

A grande procura pelos oxímetros começou quando um artigo publicado no New York Times descreveu um quadro clínico provocado pelo coronavírus, chamado hipóxia silenciosa. No estudo, os médicos relataram casos de pessoas que vinham sofrendo uma queda constante no nível de oxigenação do sangue, mas sem sentir outros sintomas. Porém, depois disso, apresentavam uma piora significativa, sentindo muita falta de ar e chegando aos hospitais já em estado muito grave.

Com medo dessa situação, milhões de pessoas em todo o mundo começaram a busca por oxímetros, já que eles permitem notar essas mudanças antes do estado se tornar grave. Assim, é possível procurar os médicos antes que a Covid-19 se torne fatal, o que é muito importante considerando que a mortalidade dos casos graves no Brasil é muito alta.

De acordo com um relatório do site Guia55, entre o dia 18 de abril e o dia 26 de abril, o número de buscas na internet por oxímetro cresceu quase 900%. Hoje, boa parte dessas buscas é sobre farmácias que vendem o produto – o que está difícil, já que os estoques foram rapidamente comprados e não é um item fácil de repor.

Juntamente à descoberta da hipóxia silenciosa, alguns relatos de pacientes ajudaram na popularização do item: pessoas que usaram o oxímetro, perceberam uma mudança nos níveis de oxigênio e procuraram um médico prontamente, sendo diagnosticadas com Covid-19 e tratadas a tempo, sem passar por maiores complicações.

A popularização no uso dos oxímetros causou polêmica na comunidade científica. Muitos médicos consideram imprudentes as medições caseiras, pois elas não levam em conta quadros clínicos prévios de cada paciente, que podem ocasionar um menor nível padrão de oxigenação do sangue, como doenças respiratórias e tabagismo. Além disso, os níveis também podem ser menores ao acordar ou logo após a prática de exercícios, podendo causar diagnósticos assustadores, mas que não sinalizam a contaminação por coronavírus.

Além disso, há os contaminados que não apresentam a queda nos níveis de oxigênio no sangue. Assim, um diagnóstico favorável no oxímetro pode passar segurança para pessoas com coronavírus e fazer com que elas saiam às ruas. Porém, muito médicos veem essa popularização como algo positivo, comparando o aparelho aos termômetros e medidores de pressão arterial, que podem servir para diagnosticar e comprovar sintomas, indicando quem precisa ou não procurar um hospital.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Bem-Estar

Cientistas gaúchos desenvolvem teste inédito para o coronavírus
Fiocruz aponta retomada no aumento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave no Brasil
Deixe seu comentário
Pode te interessar