Sexta-feira, 24 de Janeiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
26°
Mostly Cloudy

Capa – Magazine A Apple revelou detalhes da Apple TV+ para concorrer com a Netflix

Jennifer Aniston e Reese Whiterspoon receberão, cada uma, 1,2 milhão de dólares por episódio. (Foto: Reprodução)

A Apple anunciou, nesta segunda-feira (25), os detalhes do que promete ser a maior reinvenção da empresa desde o lançamento do iPhone: a Apple TV+, serviço de conteúdo de streaming que também transforma a empresa criada por Steve Jobs em uma provedora de mídia e séries originais, criando a concorrência direta com com Neftlix e Amazon Prime.

Em preparação desde 2017, a Apple TV+ teve um investimento inicial acima do US$ 1 bilhão (cerca de R$ 4 bilhões) e começou a tomar forma com a contratação de Zack Van Amburg e Jamie Erlicht, dupla de veteranos executivos da Sony TV. Os dois são responsáveis pela supervisão da produção mundial das séries para a Apple e, sem poupar esforços, fizeram acordos com nomes de peso, como Steven Spielberg, Jennifer Aniston, Reese Witherspoon, J.J. Abrams e Oprah Winfrey.

O serviço não será integrado com o Apple Music, como muitos esperavam, mas um plano de assinaturas semelhante aos servidos pela Netflix, que somava 139 milhões de assinantes no mundo no fim de 2018. Previsto para estrear no segundo semestre em mais de cem países, inclusive no Brasil, a Apple TV+ cobrará uma mensalidade ainda não definida para o acesso aos conteúdos originais. Mas a empresa conta com um time forte para atrair os espectadores.

Em um evento no Steve Jobs Theatre, dentro do complexo Apple Park, em Cupertino, a empresa recebeu grandes nomes de Hollywood para revelar os ambiciosos planos para a Apple TV+. “Isso é apenas a ponta do iceberg”, disse Tim Cook, CEO da Apple, ao apresentar as primeiras cenas de séries como “The Morning Show”, “See” e “For All Mankind”. “TV é muito mais que apenas entretenimento. É cultural. A televisão enriquece nossas vidas e podemos compartilhar o sentimento com as pessoas que amamos.”

O primeiro convidado foi o diretor Steven Spielberg, que se declarou “agradecido” a Apple antes de apresentar a nova versão da série de antologia “Histórias Fantásticas”. “Vamos ressuscitar essa marca para diversas gerações”, disse o cineasta, que foi criticado recentemente por lutar contra a presença de empresas de streaming em premiações para cinema.

Em seguida, foi a vez das atrizes Jennifer Aniston e Reese Witherspoon falarem sobre “The Morning Show”, série sobre os bastidores de um programa matinal em Los Angeles. “É um olhar sobre as vidas das pessoas que ajudam os Estados Unidos a acordarem todos os dias”, explicou Witherspoon, antes de receber outro ator do elenco, Steve Carell.

A primeira incursão da Apple ainda teve apresentações de J.J. Abrams (“Little Voice”) com um pequeno show da cantora e atriz Sara Bareilles; Jason Momoa e Alfre Woodward adiantando as primeiras informações da série pós-apocalíptica “See”; o roteirista e ator Kumail Nanjiani (“Little America”); e até Garibaldo, responsável por divulgar um novo programa infantil dos responsáveis por “Vila Sésamo”.

A última atração foi a produtora, atriz e apresentadora Oprah Winfrey, que desenvolve várias séries em parceria com a Apple TV+. “Temos a oportunidade única de nos elevarmos e escolhermos como usar nossa tecnologia e nossa humanidade”, disse ela. “Por isso vim para a Apple.”

Algumas armas da Apple TV+ para concorrer com a Netflix:

“The Morning Show”

Jennifer Aniston e Reese Witherspoon se unem em uma “dramédia” sobre os bastidores de um show matinal de TV. Para trazer a dupla, a Apple fez um contrato de garantia de duas temporadas antes mesmo de ter um roteiro em mãos. Cada uma das atrizes receberá 1,2 milhão de dólares por episódio. O elenco ainda traz Steve Carell. “É um olhar honesto sobre o relacionamento complexo entre homens e mulheres na frente das câmeras”, explicou Witherspoon. “Isso me fez voltar à TV. Estou muito animada”, completou Aniston.

“Histórias Fantásticas”

O seriado de antologia era uma das paixões de Steven Spielberg, que lançou o original em 1985 — mas só durou duas temporadas. A nova versão não deve ser tão sombria, tanto que a dupla Edward Kitsis e Adam Horowitz, responsável pela série “Once Upon a Time”, foi contratada para ajudar o diretor na sua empreitada televisiva para a Apple. “Cresci com meu pai contando essas histórias para mim e fico feliz de ressuscitar essa marca”, falou Spielberg.

“See”

Um vírus exterminou boa parte da população terrestre e os sobreviventes emergem cegos em um novo mundo. Jason Momoa e Alfre Woodard apresentaram a série pedindo para todos ficarem de olhos fechados enquanto sons da natureza tomavam conta do Steve Jobs Theatre.

 

Voltar Todas de Capa – Magazine

Compartilhe esta notícia:

Prosperam as negociações da compra da Avon pela Natura
Moçambique tem 128 mil pessoas em abrigos improvisados e corre risco de epidemias após a passagem do ciclone
Deixe seu comentário
Pode te interessar