Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Filho de Osama Bin Laden está morto, diz Casa Branca

Bolsonaro tem razão sobre a crise na Argentina

Presidentes Jair Bolsonaro e Mauricio Macri. (Foto: Divulgação)

O presidente Jair Bolsonaro tem razão quando adverte para o risco da Argentina tornar-se uma Venezuela, caso retornem ao poder os herdeiros do período Kirchnerista, que colocou o país na atual crise. Baseado em informações das áreas de inteligencia, o governo federal teme, sim, que com o agravamento da crise, a rota de fuga dos argentinos seja o Rio Grande do Sul, transformando o nosso Estado em uma “nova Roraima”.

Argentina segue a cartilha da crise

O caminho da crise vem sendo percorrido rigorosamente pela Argentina: o presidente Mauricio Macri não consegue recuperar o estrago recebido, e suas reservas cambiais caíram de US$ 65,34 bilhões, em abril, para US$ 44,69 bilhões, em maio. O mercado levou um susto politico, e o câmbio saltou para mais de 60 pesos por dólar depois da prévia eleitoral. A dívida externa pulou de 36,7% do Produto Interno Bruto, em 2017, para 51,8%, no fim de 2018.

RS: Seremos Roraima?

Por esta razão, embora o desejo do governador gaúcho Eduardo Leite em criar um contraponto politico, minimizando a afirmativa feita por Jair Bolsonaro no ultimo dia 5, em Pelotas, alertando para o risco de o Rio Grande do Sul tornar-se uma Roraima, o fato é que o Estado não teria estrutura para receber uma demanda de refugiados argentinos nos moldes do que acontece em Roraima com venezuelanos. Falta-nos estrutura de saúde, segurança e educação para acolher uma demanda de 500 a 1.000 imigrantes por dia.

Uma dívida terrível na saúde

O Estado do Rio Grande do Sul está pagando em 16 parcelas de R$ 162 milhões, de uma dívida da saúde aos municípios, prometida pelo governador Eduardo Leite. A Federação das Associações de municípios porém cora outra dívida, de R$ 480 milhões da saúde. Esta dívida o governo não consegue pagar, porque não houve o empenho legal da gestão anterior. Pagar esse valor sem empenho seria ilegal. ou seja: mesmo que o atual governo tivesse estes recursos, não poderia pagar. Os municípios queixam-se que, na base da confiança das promessas, gastaram esse valor com saúde.

Mais pressão para veto á lei do abuso de Autoridade

O presidente Jair Bolsonaro vem recebendo novas manifestações para que assine o veto integral ao projeto que criminaliza o abuso de autoridade. Ontem foi a vez do Conselho dos Tribunais de Justiça, formado pelos presidentes dos tribunais de justiça de todos os Estados, enviar ofício ao presidente Jair Bolsonaro. Quem assina o documento é o presidente da entidade e do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro. O Conselho dos Tribunais de Justiça é formado pelos presidentes de todos os tribunais de justiça dos Estados.

Deixe seu comentário: